Estudantes brasileiros criam startup para saúde e segurança de idosos

Da Redação
27 de setembro de 2018 - 09h00

Dois estudantes da Universidade Federal do Paraná (UFPR) criaram recentemente uma startup chamada Smart Aging, que utiliza novas tecnologias com foco na saúde e na segurança de idosos.

A iniciativa, que acontece por meio da edição de 2018 do AWC (Academic Working Capital), programa de empreendedorismo universitário do Instituto TIM, desenvolve atualmente um wearable para monitoramento remoto de pessoas da terceira idade.

Desenvolvida pelos irmãos Matheus Augusto Silva e Lucas Henrique Silva, a pulseira pode detectar situações como quedas e anomalias cardíacas e enviar alertas e relatórios para os próprios idosos, além de familiares e médicos, por exemplo.

Para isso, o dispositivo conta com sensores, que permitem comunicação wireless com um aplicativo móvel para smartphones, onde é possível visualizar essas informações. 

Além disso, a solução da Smart Aging permite o cadastro de lembretes com os horários para tomar medicamentos e também com compromissos da rotina de forma geral.

AWC

Voltado a estudantes em fase final de graduação que possuem seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) com soluções tecnológicas ou de inovação, o AWC já apoiou o desenvolvimento de cerca de 80 projetos.

Neste ano, a iniciativa do Instituto TIM conta com 32 grupos, sendo 86 alunos de faculdades de oito estados brasileiros (São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul e Bahia).