Vendas de tablets caem 3,4% no Brasil, mas receita do setor sobe

Da Redação
25/09/2018 - 16h00
Segundo pesquisa da IDC, foram vendidas 763 mil unidades entre abril e junho. Receita subiu 8,6%, impulsionada pelo dólar alto.

As vendas de tablets caíram 3,4% no segundo trimestre deste ano em relação ao mesmo período de 2017, conforme uma nova pesquisa da IDC Brasil. De acordo com o levantamento Tablets Trackers Q2, foram vendidas 763 mil unidades desses dispositivos entre abril e junho de 2018, 27 mil a menos do que os 790 mil tablets comercializados no segundo trimestre do ano passado.

Por outro lado, aponta a consultoria, a receita aumentou 8,6% em comparação com o mesmo período de 2017, com 433 milhões de reais contra 400 milhões reais.

Para efeito de comparação, as vendas do segundo trimestre de 2018 registraram queda de 0,6% em unidades em comparação ao primeiro trimestre deste ano, enquanto que a receita subiu 7,5%. 

Isso aconteceu porque o tíquete médio cresceu 12,5%, indo de 505 reais para 570 reais entre o segundo trimestre deste ano e do ano passado. “O dólar foi determinante para o aumento do preço e queda nas vendas, e o faturamento só não sofreu retração porque as vendas não se concentraram nos modelos de entrada, mais baratos”, afirma o analista de pesquisa da IDC Brasil, Wellington La Falce. 

Mercado corporativo

Apesar de ainda ser tímida, a participação do mercado corporativo cresceu significativamente (148%), uma vez que o segmento respondeu por 35 mil dos 763 mil dispositivos vendidos em abril, maio e junho. 

 “As vendas de tablets para o corporativo ainda são incipientes, mas as fabricantes têm enxergado novas possibilidades para esse dispositivo, que está entre o notebook e o smartphone e pode ser mais uma ferramenta de suporte dentro das empresas”, destaca La Falce.

Do total da receita do setor, o mercado corporativo ficou com R$ 40 milhões, 155% a mais que os mesmos meses do ano passado, quando o mesmo segmento faturou R$ 15 milhões. 

Previsões

Para os próximos meses, a IDC Brasil espera um aumento progressivo com a venda de 980 mil unidades no terceiro trimestre deste ano. Porém, em relação a 2017, o número ainda representa queda de 4,5%, quando o setor vendeu 1,02 milhão de unidades.