Preços de GPUs entram em queda à medida que valor do bitcoin também cai

Lucas Mearian, Computerworld (EUA)
11 de julho de 2018 - 15h00
Preço dos processadores caem em resposta à queda acentuada dos tokens digitais. Se em 2017, um bitcoin chegou perto dos US$ 20 mil, hoje não ultrapassa os US$ 7 mil

O poder de processamento das placas de jogos tornou-os ideais para plataformas de mineração de criptomoedas. Elas estavam em alta quando Bitcoin, Ethereum e outras opções de tokens digitais saltaram para níveis sem precedentes no final de 2017 e início de 2018. Mas essa tendência parece estar se invertendo. O preço dos cartões add-in board (AIB) parecem estar em declínio e o fornecimento aumentando, seguindo o mesmo caminho dos tokens digitais, que apresentam preços em queda.

"Previmos uma queda nos processadores de aplicativos específicos, já que os preços das moedas digitais caíram", disse C. Robert Dow, gerente de mídia digital da Jon Peddie Research. "O custo para operar as plataformas de mineração não é insignificante, portanto, quando o preço das moedas cair, as pessoas executarão plataformas e escolherão revender os AIBs no mercado secundário, na esperança de recuperar algum custo".

Mais de 3 milhões de AIBs, no valor de US$ 776 milhões, foram vendidos para mineradores de criptomoedas em 2017, a maioria dessas placas vindo da AMD, de acordo com a Jon Peddie Research. No mesmo período, muitas placas de expansão de alta qualidade esgotaram e os preços gerais aumentaram, deixando os gamers irritados.

A NVIDIA até tomou a atitude incomum de pedir aos varejistas de seu hardware que priorizassem as vendas para os jogadores em detrimento dos mineiros de criptomoeda.

Porém, se em dezembro o preço do bitcoin era de US$ 19.500, hoje é de US$ 6.800. Os preços do Ethereum caíram de uma alta de US$ 1.385 em janeiro para cerca de US$ 475 atualmente.

Essa tendência de queda foi refletida no mercado de GPUs. Em abril, por exemplo, o pacote de 6 GB RX 580 OEM da AMD – no valor de US$ 3.600 - estava esgotado; hoje, não só está disponível, como está sendo vendido por US$ 2.500. E uma placa gráfica NVIDIA GeForce GTX 1080 Founders Edition, de 8 GB GDDR5X PCI Express 3.0, vendida por US$ 1.050, agora pode ser adquirida por US$ 709.

Outros fatores também podem estar reduzindo os preços da GPU. A NVIDIA não introduziu uma nova família de GPUs desde que sua série 10 Pascal chegou em 2016. A falta de novos estoques, segundo Dow, significa que os processadores da NVIDIA agora competem com novas opções de fabricantes rivais.

"Também suspeitamos que a NVIDIA e a AMD tenham algum estoque acumulado. Antes do aumento na compra para mineração de criptomoedas, os preços estavam estáveis e caindo ligeiramente, uma tendência que continuará pelo menos até que novas famílias de cartões sejam introduzidas”, diz Dow.

Para o especialista, há uma demanda reprimida, já que os jogadores não estão comprando novas placas devido ao custo e à falta de novas opções. Mas há alguns jogos incríveis para serem lançados nos próximos meses, o que poderá impactar o mercado e estabilizar os preços.

No final de junho, o DigiTimes informou que as vendas de sistemas de criptomineração baseados em ASIC foram significativamente prejudicados pela demanda. Como resultado, os preços da GPU devem cair cerca de 20% este mês.

"Atualmente, o mercado mundial de placas gráficas tem um estoque de cerca de vários milhões de unidades e a NVIDIA tem cerca de um milhão de GPUs esperando para ser lançadas", informou o DigiTimes. "Com a criptomoeda, os mineradores também devem começar a vender suas placas gráficas usadas para o canal de varejo, e espera-se que os fornecedores apresentem grandes cortes de preços para competir".