Intel finaliza patches contra Spectre; CPUs mais antigas ficam de fora

PC World / EUA
04/04/2018 - 13h38
Fabricante não irá liberar correções para CPUs lançadas em 2007, como Penryn, Yorkfield e Wolfdale, além de modelos que chegaram ao mercado nos anos seguintes.

A maratona iniciada há meses pela Intel para liberar patches de microcódigos para CPUs contra as falhas Meltdown e Spectre está chegando ao fim, mas algumas CPUs antigas ficarão sem as correções prometidas.

A mais recente atualização da fabricante sobre seus microcódigos afirma que as revisões planejadas estão “interrompidas” para CPUs como Penryn (2007), Yorkfield (2007), Wolfdale (2007), Bloomfield (2008), Clarksfield (2009), Jasper Forest (2010) e Atom “SoFIA” (2015), conforme revelado originalmente pelo site especializado Tom’s Hardware

Veja abaixo a explicação da Intel para o novo status: 

“Após uma investigação compreensiva das microarquiteturas e das funcionalidades do microcódigo para esses produtos, a Intel determinou por não lançar os updates de microcódigo para esses produtos por uma ou mais razões, que incluem mas não estão limitadas às seguintes:

-Características de microarquitetura que impossibilitam uma implementação de recursos mitigando a Variant 2 (CVE-2017-5715)

-Suporte limitado de software do sistema disponível comercialmente

-Com base nas respostas dos consumidores, a maioria desses produtos estão implementados como “sistemas fechados” e, por conta disso, espera-se que tenham uma menor chance de exposição a essas vulnerabilidades”

Isso coloca o último prego no caixão da série Core 2 de chips da Intel, que foi onde os processadores quad-core da empresa fizeram sua estreia. Algumas CPUs Core de primeira geração também receberam o “martelo”, incluindo o Intel Core i7-970, 980, 980X e 990X.

meltdownspectre_625.jpg

A decisão certamente é frustrante, mas não é realmente uma surpresa. Na verdade, foi um choque maior quando a Intel revelou originalmente as suas intenções para criar patches para chips com uma década de história, especialmente pelo fato dos updates de firmware serem entregues por meio de atualizações da BIOS da placa-mãe – não diretamente pela Intel. É preciso se perguntar quantas fabricantes de placas-mãe teriam se dado ao trabalho de criar BIOS para CPUs antigas mesmo que a Intel tivesse liberado esses microcódigos atualizados.

É certamente uma nota amarga para encerrar os patches, mas, após um início complicado, a Intel conseguiu entregar updates para cerca de oito anos de processadores, incluindo chips Sandy Bridge e Ivy Bridge. 

Vale lembrar que as atualizações de firmware são apenas uma parte da equação para se proteger com as falhas de CPU em questão – Spectre e Meltdown. Também é preciso manter um software de antivírus ativo e atualizado na sua máquina.

E, caso você esteja usando um PC antigo que não receberá um update de firmware, talvez seja uma boa hora para realizar um upgrade e trocar o processador ou até mesmo o computador.