Artigo: Quatro razões para comprar o novo iPad em vez do iPad Pro

Michael Simon, Macworld / EUA
29/03/2018 - 10h42
Apresentado nesta semana, tablet de entrada da Apple agora conta com suporte para o Apple Pencil, além de ter ganhado um novo processador.

No ano passado, quando a Apple lançou o então novo iPad de 9,7 polegadas por 329 dólares (preço nos EUA), foi uma ótima notícia para as pessoas que queriam se divertir com os seus tablets. Com a atualização do dispositivo revelada nesta semana, a empresa de Cupertino mostrou que o iPad também é uma ótima ferramenta para trabalho.

Isso é porque a Apple adicionou suporte para o Apple Pencil (sua caneta stylus mais avançada) ao iPad de entrada, permitindo assim que os usuários escrevam e desenhem nos seus novos tablets - assim como já era possível na linha Pro. Com o mesmo suporte para inclinação e sensibilidade à pressão, a Apple transformou o seu iPad mais barato em um aparelho que é bastante próximo do iPad Pro de 10,5 polegadas, que custa quase o dobro do modelo de entrada – nos EUA (650 dólares contra 330 dólares); no Brasil, o Pro custa exatamente o dobro do novo iPad (2.500 reais contra 5 mil reais).

Por isso, separamos abaixo quatro razões pelas quais você pode preferir comprar o novo iPad em vez do iPad Pro.

Suporte ao Apple Pencil

A grande novidade da versão atualizada do iPad é obviamente o suporte ao Apple Pencil. Até hoje, a poderosa stylus da Apple era provavelmente o maior atrativo para se comprar um iPad Pro, mas agora que é possível usar o Apple Pencil para desenhar e escrever no modelo de entrada, há uma razão a menos para gastar mais no Pro. E como os dois modelos suportam o mesmo modelo do Pencil, você poderá usar a stylus da Apple em qualquer iPad Pro que vier a comprar futuramente.

É tão rápido quanto

A Apple melhorou o processador do iPad com a adição do A10 Fusion, o mesmo chip do iPhone 7, no lugar do A9. Ele não é exatamente o mesmo processador do iPad Pro – o A10X, no caso, mas vamos pensar nisso: na época do lançamento, a Apple disse que o A10X era 30% mais rápido em termos de desempenho de CPU e 40% mais rápido em performance de GPU em relação ao A9X. Enquanto isso, a companhia disse que o A10 é 40% mais rápido em desempenho de CPU e 50% mais rápido em performance de GPU do que o A9. Com isso em mente, é possível imaginar que a diferença entre o A10X, do iPad Pro, e o A10, do novo iPad, será basicamente imperceptível no dia-a-dia.

Você ainda pode usar um teclado

Apesar de ser certamente estranho o fato de a Apple não ter levado para o novo iPad o chamado Smart Connector, que é usado para conectar o Smart Keyboard no iPad Pro, ainda é possível usar um teclado com o mais novo tablet da empresa. Tudo que você precisa é de um teclado Bluetooth padrão juntamente com uma Apple Smart Cover (para apoio) e pronto: terá uma configuração parecida nas mãos. Você poderá até mesmo usar os mesmos atalhos de teclado.

Ele é tão bom quanto o Pro para multitarefa

No iOS 10 e no iOS 11, a Apple introduziu uma maneira completamente nova de navegar e realizar multitarefa nos seus tablets, e você não precisa do iPad Pro de 10,5 polegadas para isso. Com o iOS 11 e o novo iPad de 9,7 polegadas, você ainda poderá usar recursos como Slide Over, Split View e Picture-in-Picture, assim como Drag and Drop e o melhorado Dock. E com o novo chip A10X, a mudança entre os apps deverá ser quase instantânea.

Qual modelo comprar?

O iPad Pro traz um chip um pouco melhor, uma tela maior e um display melhor com ProMotion e True Tone. Se essas diferenças valem 2.500 reais (ou 320 dólares, nos EUA) para você, então definitivamente compre um iPad Pro. Se esse não for o caso, vale a pena economizar e ficar com o novo iPad de 9,7 polegadas.