Artigo: os produtos que esperamos que a Apple anuncie em março de 2018

Dan Moren, Macworld / EUA
12/03/2018 - 17h39
Lista inclui o aguardado AirPower, atualizações do iPad e iPad Mini e uma segunda geração do compacto iPhone SE.

Os principais eventos da Apple acontecem nos meses de junho e setembro, mas há uma simetria interessante quando a empresa também faz anúncios em março, o que acontece com uma certa frequência – mas não sempre. 

Além de atualizações de aparelhos menos populares, o fim do primeiro trimestre, início do segundo costuma ser a época para lançamentos mais inusitados: pense nas versões na cor vermelho do iPhone 7 e 7 Plus, ou no software de edição de vídeos Clips, por exemplo.

Neste ano, além dos rumores onipresentes sobre novos produtos da Apple, os usuários também estão à espera de mais informações sobre aparelhos que a companhia já mencionou anteriormente. 

Por isso, fizemos uma lista com alguns dos produtos sobre os quais gostaríamos de ouvir mais em março, caso a Apple decida realmente fazer um anúncio neste mês. 

AirPower ou AirPods com recarga wireless

Fazer pré-anúncios de produtos ainda não é o padrão para a Apple, mas nos últimos anos a empresa vem fincando uma bandeira sobre alguns dispositivos futuros. Isso aconteceu em seu evento de setembro de 2017, quando a companhia mencionou que lançaria ao longo de 2018 o seu próprio pad de recarga wireless, chamado de AirPower. É esperado que um case para o fone AirPods com suporte para recarga wireless também chegue na mesma época.

No entanto, a Apple não está sozinha neste segmento. A principal vantagem do AirPower é a sua habilidade de recarregar a bateria de três aparelhos ao mesmo tempo. Mas há produtos concorrentes interessantes no mercado, sendo que alguns deles custam muito menos do que o AirPower deverá custar. E enquanto alguns usuários podem ficar animados com a promessa de recarregar os AirPods sem precisar de um cabo, outros podem ficar relutantes em desembolsar mais dinheiro por um novo case de bateria. 

Esses talvez não sejam os produtos mais interessantes que a Apple deve apresentar neste ano. E é possível que a gente já saiba a maior parte do que há para saber, com exceção dos preços, mas esses dispositivos vão preparar o terreno para um futuro em que a recarga wireless não apenas seja mais comum, mas também comece a se tornar um padrão esperado.

O iPad que não é Pro

No ano passado, por volta do final de março, a Apple lançou uma nova versão do iPad, posicionando-o como um produto de custo mais baixo para quem não precisa de todo o poder de um iPad Pro. 

Apenas um ano depois, a Apple talvez não precise revisar esse modelo. O seu chip A9 ainda é bastante respeitável, e com configurações de 32GB e 128GB de armazenamento, o modelo não entra muito no segmento do iPad Pro.

Por outro lado, também vem surgindo boatos sobre um novo iPad Mini. O modelo atual, o iPad Mini 4, foi lançado em setembro de 2015 e usa o mesmo chip A8, que está presente no HomePod e na Apple TV. Se a Apple estiver realmente querendo manter o iPad Mini no mercado, essa pode ser uma boa oportunidade para a empresa “dar um gás” nas especificações no tablet. Se o aparelho não receber nenhuma novidade, então também podemos ter uma resposta sobre o seu futuro.

De qualquer maneira, não espero que um possível novo iPad ou iPad Mino “roube” muitos recursos da linha Pro – nada de telas ProMotion ou TrueTone, ou suporte para o Apple Pencil. Também não esperaria que esse seja o primeiro tablet da empresa a contar com algo como o Face ID, por exemplo. Um update mais “magro” com talvez um corte de preço deve ser o suficiente para manter ativa a parte mais baixa dos tablets da Apple. 

Atualização do iPhone SE

Falando em aparelhos mais simples, o modelo mais barato do iPhone – o iPhone SE – estreou no mercado em março de 2016. Desde então, o dispositivo já foi motivo de muita discussão: é um produto que a Apple planeja atualizar regularmente? Ou apenas um smartphone único para manter um modelo mais barato – e talvez, mais importante, mais compacto – na família iPhone?

Os rumores sobre uma nova versão do iPhone SE já circulam há algum tempo, mas parecem ter ganhado mais força neste ano. A grande pergunta é se a segunda geração do SE terá algo além de uma revisão que atualize o processador para o A10, talvez. Uma sugestão é que poderemos ter uma tela um pouco maior do que o display atual de 4,2 polegadas – mas vale notar que isso poderia acontecer em um aparelho com um corpo igual ao do iPhone SE lançado em 2016.

E neste caso, assim como com os iPads, parece improvável que a Apple traga recursos dos seus smartphones top de linha, como Face ID, recarga wireless e modo Retrato na câmera – para o SE.