Qualcomm quer combinar roteadores com alto-falantes inteligentes

PC World / EUA
11 de janeiro de 2018 - 16h04
Fabricante de chips promoveu o novo conceito durante evento na feira de tecnologia CES 2018, em Las Vegas.

Os executivos chamaram o novo Asus Lyra Voice de um modelo para os roteadores do futuro: parte alto-falante, parte roteador, e com a assistente digital Alexa, da Amazon. A fabricante disse que está tentando convencer empresas como Cox e Comcast a seguirem por essa direção.

Ao contrário da AMD e da Intel, você não pode comprar chips da Qualcomm para construir os seus próprios smartphones e roteadores. Mas quando os executivos da empresa tomam o palco da CES para descrever como os produtos do futuro deverão ser, vale a pena prestar atenção. 

A Qualcomm anunciou três versões da sua Smart Audio Platform – completa com um processador quad-core ARM A53, áudio DSP, Wi-Fi 802.11ac, Bluetooth e processamento de áudio com seis microfones – como a base para novos alto-flantes usando a Alexa, o Google Assistente e a Cortana, da Microsoft. Todas foram qualificadas pelas próprias fabricantes dos assistentes, abrindo caminho para mais produtos habilitados por voz que estão tomando conta da CES em 2018.

O brasileiro Cristiano Amon, presidente da Qualcomm, afirmou que a empresa espera ajudar que os fabricantes de hardware de rede adotem uma abordagem de nível de sistema. “Você transforma o roteador em uma plataforma de coleta de dados. Se você é uma operadora, essa é melhor solução para se tornar um hub para a Internet das Coisas e coletar dados por meio da plataforma da Qualcomm para machine learning em casa.” 

A Asus não revelou muitos detalhes sobre o novo Lyra Voice, que foi anunciado pela empresa durante a CES. O equipamento é um roteador Wi-Fi Tri-Band mesh AC2200, com a assistente Alexa embutida. Seis antenas internas facilitam a transmissão de dados usando o protocolo 802.11ac pela casa. Ele é feito para funcionar com o Lyra Trio, outro novo roteado da Asus.

Bugs

Por fim, Amon descartou preocupações sobre os bugs de CPU Meltdown e Spectre, afirmando que a maioria dos smartphones e tablets já foram protegidos por patches liberados em dezembro pelo Google. “Não é uma área de preocupação para nós e para o ecossistema mobile no momento.”