Microsoft diz que patch do Spectre pode deixar seu computador lento

PC World / EUA
09 de janeiro de 2018 - 18h30
Empresa disse que testes apontam que máquinas com versões mais antigas do Windows e chips mais antigos da Intel são as mais afetadas pelos patchs.

A Microsoft afirmou nesta terça, 9/1, que PCs rodando versões antigas do Windows, ou apenas com processadores mais antigos da Intel, registrarão um impacto perceptível no desempenho por conta dos patches contra as falhas de CPU Meltdown e Spectre. A Intel publicou as suas próprias informações sobre o assunto, em que afirma ter registrado apenas um pequeno impacto para os seus chips Core de oitava geração. 

O post feito pela Microsoft em seu blog oficial reflete onde o mercado está em termos de lidar com as três vulnerabilidades. Apenas a segunda, a vulnerabilidade de “branch target injection”, mostra algum tipo de impacto sobre desempenho, segundo a empresa de Redmond. Mas, à medida que os patches são liberados, os usuários começaram a se preocupar que essas soluções também pudessem impactar a performance das suas máquinas. 

O que isso significa para você

Infelizmente, parece que os PCs mais antigos serão os mais atingidos, com base na maneira como o Windows foi desenvolvido na época. Mesmo que você fique tentado a não aplicar o patch por conta desses possíveis impactos de desempenho, é aconselhável que baixe a atualização de segurança. Os seus dados precisam estar protegidos.

Meltdown/Spectre: Patches continuam a chegar

Em um post, o diretor de sistemas da Microsoft, Terry Myerson, explicou que 41 das 45 edições do Windows que a empresa distribui agora possuem patches disponíveis. A Microsoft e outras companhias recomendam que os consumidores apliquem esses patches o quanto antes. O Windows Update de janeiro aplica essas soluções nos sistemas Windows. Os usuários também precisam garantir que os seus softwares antivírus estejam atualizados.

Para os diferentes modelos de PCs, a Microsoft recomenda que os usuários visitem a sua página de suporte para o Meltdown e o Spectre, que inclui links para patches de microcódigos das diferentes fabricantes de hardware – infelizmente, no entanto, esses links ficam “enterrados” na seção “Where can I find hardware/firmware updates for my device?”, na parte inferior da página.

A Microsoft afirmou ainda que os aparelhos da linha Surface também receberão patches de segurança, a partir de hoje, 9/1.

Impactos de desempenho segundo Intel e Microsoft

Por enquanto, afirma Myerson, a primeira variante da vulnerabilidade Spectre pode ser solucionada sem nenhum impacto significativo de desempenho, e as mitigações para o Meltdown também podem ser aplicadas sem atrasos perceptíveis ao sistema. Mas os benchmarks de terceiros que testaram os impactos do patch geralmente fizeram isso sem os patches aplicados no microcódigo do processador e no sistema operacional, afirma. Os testes mais recentes da Microsoft refletem ambos os patches. 

Veja abaixo um resumo das descobertas da Microsoft

- Com Windows 10 em chips mais novos (PCs de 2016 com CPUs Skylake, Kaby Lake ou mais novas), os benchmarks mostram uma redução de velocidade de um dígito. A Microsoft não espera que a maioria dos usuários perceba alguma mudança porque as porcentagens serão refletidas em milissegundos. 

- Com Windows 10 em chips mais antigos (PCs de 2015, com CPUs Haswell ou modelos mais antigos), alguns benchmarks mostram reduções mais significativas, segundo a Microsoft. A empresa espera que alguns usuários percebam uma queda no desempenho do sistema.

 - Com o Windows 8 e 7 em chips mais antigos (PCs de 2015 com CPUs Haswell ou modelos mais antigos), a Microsoft espera que a maioria dos usuários perceba uma queda no desempenho do sistema.

 - As máquinas Windows Server, na verdade, mostram um impacto ainda mais significativo na performance quando as mitigações são habilitadas e código não confiável é rodado em um Windows Server, segundo a companhia.

Vale notar que a Microsoft não publicou resultados específicos dos benchmarks nem revelou como chegou a esses números. Novos benchmarks serão publicados nas próximas semanas, de acordo com a companhia.

Os impactos de desempenho são sentidos de forma mais significativa em sistemas mais antigos porque o Windows exige mais transições no kernel do usuário para acomodar decisões de design legado, como toda a renderização de fontes realizada no kernel, aponta Myerson.

“Em CPUs mais novas, como Skylake e outras mais recentes, a Intel refinou as instruções usadas para desabilitar especulação de branch para ser mais específica para branches indiretos, reduzindo a perda geral de desempenho da mitigação do Spectre”, explica o executivo da Microsoft.

Isso deixou a porta aberta para a Intel fornecer mais contexto sobre os efeitos dos patches nos seus sistemas, mas a fabricante revelou apenas alguns detalhes sobre o assunto.

“Com base em nossos benchmarks mais recentes de PCs, continuamos a esperar que os impactos de desempenho não serão significativos para os usuários padrão de computadores”, afirmou a Intel em um comunicado. “Isso significa que o usuário comum de PC residencial ou corporativo não deve ver reduções significativas em tarefas comuns como ler um e-mail, digitar um texto ou acessar fotos digitais.”

Com base nos testes da Intel com Sysmark 2014 SE, plataformas Core de oitava geração com um SSD dentro delas verão um impacto de desempenho de 6% ou menos, segundo a empresa, com os resultados de testes específicos mostrando uma variação entre 2% e 14%. A Intel disse ainda que não possui um quadro compreensivo sobre como os patche spodem afetar as cargas de trabalho de servidores.

Por fim, a Intel disse que tem estado focada em desenvolver e distribuir os patches de microcódigos, em vez de realizar benchmarks sobre os seus efeitos.

As duas empresas, Intel e Microsoft, disseram que vão continuar fornecendo updates de segurança contra as falhas.