Como a falha de CPU Spectre pode afetar smartphones e tablets

PC World / EUA
04 de janeiro de 2018 - 18h37
Vulnerabilidade descoberta por pesquisadores do Google também pode impactar smartphones Android e iOS, tablets e até a Apple TV.

A Intel pode ter dominado as notícias sobre o bug do kernel nos processadores, mas não são apenas aparelhos Windows e Macs que estão em perigo. Além do Meltdown, também há um bug chamado Spectre que afeta processadores mobile ARM, encontrados em smartphones Android e iOS, tablets e outros aparelhos que poderiam expor os seus dados.

Veja abaixo tudo o que você precisa saber sobre o assunto.

Espera. Agora o meu smartphone também está em perigo?

Mais ou menos. A equipe do Project Zero, do Google, descobriu o bug Spectre como parte da sua investigação maior sobre a segurança de CPUs e já tomou medidas para diminuir os riscos. No entanto, mesmo que você tenha um aparelho que seja vulnerável, o Google destaca que “a exploração (da falha) já se mostrou difícil e limitada na maioria dos aparelhos Android”.

A Apple ficou muda sobre o Spectre e seu possível impacto sobre aparelhos iOS, mas o risco também é presumivelmente pequeno. 

Há algum smartphone que corra mais perigo?

Os aparelhos Android mais novos estão em uma situação muito melhor do que os mais antigos. O patch de segurança mais recente do Google, liberado em dezembro, “inclui mitigações reduzindo o acesso a timer de alta precisão que limitam ataques em todas as variantes conhecidas em processadores ARM”. Isso significa que todos os smartphones Pixel foram protegidos (presumindo que os updates automáticos estão habilitados), assim como o Nexus 5X e 6P, além do tablet Pixel C. 

Como o problema pode ser corrigido em smartphones que não são do Google?

Assim como o Meltdown, o Spectre só pode ser corrigido via software. Alguns aparelhos Android mais novos, como o Samsung Galaxy S8 e o Note 8, já receberam a atualização. Outras fabricantes devem começar a liberar os seus próprios updates nas próximas semanas, assim como os aparelhos iOS, da Apple. No entanto, é provável que muitos dispositivos Android fiquem vulneráveis.  

E se o meu smartphone não receber mais updates?

Um hacker poderia potencialmente fazer com que um app seguro no seu app entre dados como senhas e chaves de criptografia. No entanto, um criminoso precisaria ter acesso ao seu smartphone destravado para fazer isso, uma vez que é improvável que o Spectre possa ser implementado ou acionado remotamente.

O meu iPhone pode ser afetado pela falha?

A Apple ainda não se pronunciou sobre o assunto, mas apesar de a empresa produzir seus próprios processadores para aparelhos iOS, alguns ainda podem ser afetados. A empresa baseia a sua série de chips A na arquitetura ARM, incluindo alguns processadores suscetíveis. De acordo com a ARM, os chips e smartphones a seguir podem ser afetados pela falha: 

Cortex-A8: iPhone 4

Cortex-A9: iPhone 4s

Cortex-A15: iPhone 5, 5C

Vale lembrar que a Apple ainda não publicou nenhum comunicado sobre a vulnerabilidade ou seu possível impacto nos iPhones. Por isso, é possível que a empresa tenha corrigido o bug em uma versão anterior do iOS ou até evitado-o completamente ao desenvolver o chip.

O meu smartphone ficará mais lento com os patches de segurança?

O patch não parece ter um efeito perceptível em termos de performance, mas é muito mais difícil mensurar isso em um smartphone do que em um PC.

A Apple TV e o iPad também foram afetados?

A lista completa dos dispositivos afetados não ficará clara até que a própria Apple publique algum tipo de comunicado, mas alguns dos chips ARM citados acima também são usados em outros aparelhos da empresa de Cupertino:

Cortex-A8: iPad de primeira geração, Apple TV de segunda geração

Cortex-A9: iPad 2, iPad de terceiração geração, iPad mini de primeira geração, Apple TV de terceira geração