Rivais Intel e AMD se unem por novo chip Core com placa Radeon

PC World / EUA
07 de novembro de 2017 - 11h18
Ainda sem nome definido, novo processador chega no primeiro trimestre de 2018 para brigar com a Nvidia.

Parece loucura, mas é verdade: as rivais AMD e Intel se uniram para desenvolver em conjunto um microprocessador Intel Core com uma placa gráfica customizada AMD Radeon dentro do pacote, voltado para levar games poderosos a notebooks finos e leves.

Executivos das empresas disseram à PC World dos EUA que o chip criado em parceria pelas suas equipes será uma “evolução” da oitava geração dos chips Core H-series, da Intel, com a habilidade de gerenciar a energia do módulo inteiro para preservar a duração da bateria. O chip tem lançamento previsto para o primeiro trimestre de 2018. 

Apesar de as duas companhias terem trabalhado na criação do novo chip, esse é um projeto da Intel – a Intel procurou a AMD primeiro, segundo confirmado por ambas. A AMD, pelo seu lado, está tratando o Radeon como um design único, semi-customizado, no mesmo modelo de chips que fornece para consoles como o Xbox One X, da Microsoft, e o PlayStation 4, da Sony.  

No entanto, alguns detalhes da parceria ainda não foram revelados. A Intel se refere à novidade como um único produto, mas parece possível que o processador possa eventualmente ser oferecido em uma variedade de velocidades de clock. 

A peça-chave do acordo entre Intel e AMD é um pequeno pedaço de silício sobre o qual a Intel começou a valer no ano passado: o Embedded Multi-die Interconnect Bridge, ou EMIB. Vários EMIBs podem conectar cubos de silício. O resultado é o que a Intel chama de módulo System-in-Package. Neste caso, os EMIBs permitiram que a Intel construísse o módulo com três cubos, que unirá o chip Intel Core, o núcleo Radeon e a próxima geração de memória de alta largura de banda.

Vale notar que, apesar de algumas pessoas estarem se referindo a esse novo chip como Kaby Lake G, a Intel não confirmou tal informação.

 A história por trás da história

Você ouviu certo: a AMD e a Intel estão trabalhando juntas. Dar as mãos nesta parceria representa um raro momento de harmonia em uma história de rivalidade normalmente amarga que começou em 1975, quando a AMD realizou engenharia reversa no chip Intel 8080. Mas quando o assunto são placas gráficas, as duas empresas são muito mais cordiais. Os núcleos integrados de entradas da Intel dominam o mercado de notebooks, enquanto que a AMD está entre a Intel e a Nvidia quando o assunto são chips top de linha. A Intel, por sua vez, não é amiga da Nvidia, já tendo pago cerca de 1,5 bilhão de dólares em taxas de licenciamento desde 2011. O inimigo do meu inimigo é meu amigo – essa parece ser uma explicação para esse novo acordo inusitado entre as rivais.