Reino Unido define novas regras de cibersegurança para carros inteligentes

Da Redação
08/08/2017 - 17h36
Diretrizes visam garantir a segurança dos veículos em toda a cadeia de produção, incluindo cobertura ao software mesmo quando modelos ficarem "ultrapassados"

A medida que carros se tornam, cada vez mais, grandes plataformas de conectividade, discutir a segurança dos sistemas passa pela pauta tanto de montadoras quanto de organizações governamentais. 

Nesta semana, o governo britânico emitiu uma série de diretrizes que visam incentivar montadoras a priorizar a segurança cibernética dos veículos. O guia visa fornecer um conjunto de diretrizes consistentes a todas as partes envolvidas na cadeia de produção de um veículo. 

São oito princípios básicos que integram o guia "Princípios fundamentais da segurança cibernética para veículos conectados e automáticos". 

O documento sugere que as organizações devam ter a cibersegurança como uma prioridade garantida no nível do conselho, as fabricantes devem avaliar os riscos potenciais, especialmente com terceiros contratados. A segurança do veículo precisa durar a vida útil do sistema em questão, organizações e subcontratados devem trabalhar em conjunto para certificar a segurança dos processos e produtos das mesmas; os sistemas de segurança precisam ser redundantes, as fabricantes devem gerenciar o software durante a vida esperada do sistema, o armazenamento de dados deve ser seguro e o veículo ou sistemas devem ser capazes de suportar ataques e continuar a funcionar.

Garantir a segurança durante a vida útil do software é fundamental, algo que visa garantir que montadoras não deixem de assegurar consumidores quando seus carros ficarem datados ou antigos. 

Recentes estudos da Universidade da Califórnia e da Universidade de Washington revelam que quase todos os sistemas de controle em um carro moderno podem ser comprometidos e controlados remotamente. Isso porque a maioria dos sistemas de segurança foi desenvolvida antes do surgimento das opções de conectividade existentes atualmente.

Definir diretrizes e garantir que elas sejam cumpridas vai também ao encontro de um crescente mercado de veículos autônomos. O governo britânico também tem endereçado a pauta. Em junho, a Rainha Elizabeth anunciou a Lei de Veículos Autônomos e Elétricos. Uma medida que espera incentivar a inovação da próxima onda de carros autônomos enquanto assegura os mesmos no Reino Unido.