Para criador do HoloLens, "telefone celular já está morto"

Luiz Mazetto
03/05/2017 - 17h25
Em entrevista para a Bloomberg, Alex Kipman diz que era dos celulares chegou ao fim e aposta que headsets como HoloLens serão os seus substitutos.

Um dos criadores do HoloLens, o engenheiro da Microsoft, Alex Kipman, acredita que óculos de realidade mista como o HoloLens substituirão os smartphones. Para ele, a era dos celulares já teria chegado ao fim.

“O telefone celular já está morto. As pessoas apenas ainda não perceberam”, afirmou Kipman em uma entrevista recente para a Bloomberg.

No entanto, o engenheiro, que também trabalhou na criação do sensor de movimentos Kinect, não especificou durante a entrevista quando os smartphones seriam substituídos. 

Os comentários de Klipman acontecem pouco após o CEO da Microsoft, Satya Nadella, afirmar que os próximos celulares da empresa “talvez não se pareçam com celulares”. 

Lançado para desenvolvedores há cerca de um ano, o HoloLens ainda não ganhou uma versão finalizada para o público geral, o que não deve acontecer antes de 2019. De qualquer forma, quem tiver 3 mil dólares pode comprar a edição de desenvolvedores da Microsoft.

Além do preço alto, um dos principais obstáculos para uma possível popularização do HoloLens como o substituto do smartphone está no próprio aparelho, com um design pesado e um pouco desengonçado para utilizar por longos períodos de tempo, como pude comprovar em uma demonstração do headset realizada durante o Mobile World Congress 2017, em Barcelona, no início deste ano.