Dois protótipos do laptop inovador da Razer foram roubados na CES 2017

Da Redação
10 de janeiro de 2017 - 11h44
Apresentado na última semana, Project Valerie se destaca por trazer três monitores acoplados. Companhia oferece recompensa de US$25 mil por informações.

Duas unidades do Project Valerie, novo produto conceito apresentado pela Razer na CES 2017 na última semana, foram roubadas do stand da fabricante durante a feira de tecnologia em Las Vegas, nos EUA.

De acordo com a Razer, os aparelhos teriam sido roubados por volta das 16h (horário local de Las Vegas) do domingo, 8/1, último dia da CES 2017.

“Tratamos casos de roubo, e caso seja relevante para esse caso, e de espionagem industrial, muito a sério – é trapacear e trapacear não é algo que aceitamos. As penalidades para tais crimes são pesadas e quem fez isso claramente não é muito inteligente”, afirmou o CEO da Razer, Min-Liang Tan em um post no Facebook sobre o incidente.

O executivo ainda alegou que a Razer trabalha em conjunto com autoridades locais e com a organização da própria CES para investigar o caso. A companhia pede que frequentadores do evento que tenham informações sobre o que aconteceu enviem um e-mail para legal@razerzone.com com o que pensam que pode ter acontecido.

Vale notar que a Razer oferece uma recompensa de 25 mil dólares por informações que levem a condenação dos culpados pelo roubo dos protótipos.

Project Valerie

Um dos produtos mais interessantes apresentados na CES 2017, o Project Valerie é basicamente um laptop com três monitores acoplados que, segundo a fabricante, não conta com precedentes no mercado.

Todos os monitores possuem 17,3 polegadas com resolução 4K e tecnologia NVIDIA G-SYNC, que produz imagens com frame rates de máxima fluidez e expande a área de jogo em até 180°, alcance alimentado pela tecnologia NVIDIA Surround View. 

 

Segundo a Razer, o público alvo são gamers e profissionais de criação, que necessitam constantemente de maior espaço de tela para a utilização simultânea de diversos programas.