Desktop Pixel, da Raspberry Pi, agora pode revigorar PCs e Macs antigos

PC World / EUA
22 de dezembro de 2016 - 16h42
Raspberry Pi Foundation acaba de lançar uma versão de testes da interface desktop Linux que fez sucesso em suas placas.

A Raspberry Pi Foundation anunciou nesta semana um presente antecipado de Natal para todos os amantes de Linux e fãs do Raspberry Pi no mundo com a chegada de um protótipo inicial da experiência de desktop Pixel, do Raspberry Pi, para PCs e Macs. 

Isso significa que você agora pode ter a bela experiência de rodar o Pixel desktop de maneira nativa no seu laptop padrão a partir de um pendrive.

“Se nós gostamos tanto do Pixel, por que pedir para as pessoas comprarem hardware Raspberry Pi para poder rodá-lo?”, questionou o fundador da Raspberry Pi, Eben Upton. “Há uma base instalada gigante de PC e Mac por aí, que consegue rodar x86 Debian com facilidade.”

O Pixel (Pi Improved Xwindows Environment, Lightweight) é uma experiência desktop do Linux baseada no Debian Linux. A Raspberry Pi Foundation liberou-a pela primeira vez para aparelhos Pi em setembro. O Pixel é feito para ser um ambiente desktop de baixo uso de recursos que traz mais recursos do que a sua distribuição desktop de Raspberry Pi padrão. 

A experiência do desktop Pixel em PCs padrão é basicamente o que você teria em um Raspberry Pi. No entanto, tanto Minecraft quanto Wolfram Mathematica estão ausentes, uma vez que a fundação só possui licença para instalar esses programas em aparelhos Raspberry Pi.

O impacto na sua casa

Por enquanto, o Pixel para PCs e Macs é apenas uma experiência - e inicial. Upton alerta que algumas configurações de hardware podem não funcionar corretamente por conta de uma ampla variedade de hardware no mercado.