CEO da Epic acusa Microsoft de monopolizar mercado de games para PCs

PC World / EUA
04 de março de 2016 - 18h02
Cofundador da desenvolvedora de jogos mostrou preocupação com a nova plataforma

Uma conhecida desenvolvedora de games resolveu tocar o alarme para a Windows Store, da Microsoft, e o que ela pode significar para o futuro dos games para PC.

O cofundador e CEO da Epic Games, Tim Sweeney, escreveu um artigo no jornal britânico The Guardian em que acusa a Microsoft de tentar monopolizar os games para PCs com a loja de aplicativos e a Universal Windows Platform. “Com a sua nova iniciativa Universal Windows Platform (UWP), a Microsoft construiu uma plataforma fechada dentro de uma plataforma no Windows 10, como o primeiro passo aparente em direção ao bloqueio do ecossistema de PCs para o consumidor e monopólio da distribuição e comércio de apps”, afirmou Sweeney.

Apesar de Sweeney dizer que não se opõe à Windows Store como um conceito, ele acusou a Microsoft de lançar novos recursos exclusivamente para aplicativos da Universal Windows Platform, e não permitir que esses apps existam fora da Windows Store.

O executivo ainda sugere que a Microsoft trata os apps da Universal Windows Platform da mesma forma como trata os programas Win32, para que possuam distribui-los diretamente para os publishers e lojas de terceiros como Valve e GOG.

“O maior perigo aqui é que a Microsoft continue melhorando a UWP enquanto negligencie e até degrade o win32, com o tempo tornando mais difícil para os desenvolvedores e empresas escaparem do novo monopólio de comércio da Microsoft com a UWP”, afirmou Sweeney.

E aí, concorda com as declarações do executivo da Epic? Deixe sua opinião nos comentários abaixo.