Chips da Intel vão trocar desempenho por eficiência energética no futuro

PC World / EUA
10 de fevereiro de 2016 - 16h37
Afirmação foi feita por executivo da fabricante de processadores. Consumo eficiente de energia é demanda de diversos setores da TI.

Entra ano, sai ano, a Intel sempre destaca a economia de energia que alcança com suas novas famílias de processadores. O Skylake é mais eficiente que o Broadwell, que é mais eficiente que o Haswell. No futuro, no entanto, o desejo da fabricante de criar chips de baixo consumo de energia, misturado com a indústria chegar aos limites dos transistores de silício, pode significar ter de sacrificar o poder de processamento em nome da eficiência energética – pelo menos inicialmente.

A noção da Intel colocar a eficiência energética à frente do desempenho vem do diretor de tecnologia e produção da empresa, William Holt, conforme reportado pelos sites Extreme Tech e MIT’s Technology Review. Holt estava fazendo prognósticos sobre o futuro do silício durante o evento International Solid-State Circuits Conference na semana passada.

“Vamos ver grandes transições”, afirmou. “As melhores melhorias de tecnologia pura que podemos fazer vão trazer melhorias no consumo de energia, mas vão reduzir a velocidade.” 

Por que isso importa

O potencial foco da Intel no consumo de energia é um sinal do cenário atual do mercado de tecnologia. Como o Extreme Tech aponta, o foco principal dos processadores é colocar mais desempenho dentro de chips menores e menores. Agora, no entanto, esses chips precisam ser cada vez mais eficientes com o consumo de energia para ampliar o tempo de vida dos smartphones, laptops e outros aparelhos que usam bateria.  

Além disso, data centers com serviços baseados na nuvem como assistentes digitais, armazenamentos de arquivos e streaming de mídia exigem cada vez mais processadores com consumo eficiente de energia.