As maiores vitórias e voltas do mercado de tecnologia em 2015

PC World / EUA
29 de dezembro de 2015 - 09h00
Lista inclui primeiro notebook da Microsoft, domínio mundial do Facebook, simplicidade do USB-C e crescimento de serviços de streaming de vídeo.

Depois de passar pelos principais fiascos de 2015, agora é a vez de ver quem se deu bem no mercado de tecnologia nos últimos 12 meses. Enquanto os principais feitos do mercado de tecnologia em 2014 foram basicamente novas versões de produtos existentes, os destaques deste ano trazem um maior senso de urgência. 

Parece que todas as empresas do mercado de tecnologia acordaram para a rápida expansão que os próximos anos trarão, e agora estão tentando marcar o maior território possível. 

Seguem abaixo os melhores e mais bem-sucedidos exemplos de como elas conseguiram agitar as coisas em 2015.

Microsoft Surface Book

As fabricantes de PCs obviamente ficaram um pouco irritadas, para dizer o mínimo, quando a Microsoft anunciou seu próprio notebook top de linha Surface Book. Enquanto os outros modelos da linha Surface são mais direcionados ao mercado de tablets, o Surface Book foi um ataque direto ao segmento de notebooks, com configurações de dar inveja em qualquer um e um teclado físico – além de uma tela destacável no melhor estilo dos produtos híbridos.

tech201501.jpg

Nvidia coloca uma GPU em um laptop

Os laptops para games sempre foram sobre concessões e ajustes, mas a Nvidia quer mudar isso com a GeForce GTX 980, a primeira placa gráfica para um laptop que realmente espelha o desempenho da sua “irmã para desktops”. É óbvio que os laptops com a GTX 980 ainda serão monstruosidades desajeitadas e caras, mas não deixa de ser uma façanha e tanto para os gamers.

tech201502.png

USB-C abre caminho para conexões mais simples

Por tempo demais, o simples ato de conectar um cabo USB em um celular ou PC era algo bastante frustrante, já que o conector tinha uma tendência quase mágica de ficar do lado errado na primeira tentativa. Mas o alívio chega com o USB-C, um cabo totalmente reversível que também pode transferir mais energia e conectar telas externas. Alguns laptops e smartphones já começaram a suportar o padrão em 2015, abrindo o caminho para uma adoção mais ampla no próximo ano.

tech201503.jpg

Apple estabelece o mercado de smartwatches

A Apple não revela oficialmente as vendas do Apple Watch, mas uma consultoria recentemente estimou que o smartwatch da empresa tenha registrado 7 milhões de unidades vendidas em seis meses, enquanto que os relógios tradicionais viram sua maior queda de vendas desde 2008. O Apple Watch está longe de ser perfeito, mas definitivamente entrou no radar dos usuários de uma maneira que nenhum outro smartwatch conseguiu.

tech201504.jpg

Se livrar da TV a cabo ficou mais fácil

Não, não estamos falando do sempre criticado SAC das operadoras, mas sim de como as plataformas de streaming de vídeo deram um salto neste ano. Pela primeira vez, o Netflix, que vem cada vez mais investindo em produções originais, conseguiu superar a HBO em número de indicações ao Globo de Ouro de 2016. Além disso, a própria HBO lançou seu próprio serviço de streaming – ainda não disponível no Brasil. Por fim, Apple, Google e Amazon trouxeram para o mercado novas versões dos seus aparelhos de streaming.

NetflixPipoca_625

Facebook domina tudo

Três anos após atingir a marca de 1 bilhão de usuários ativos mensais, a rede social conseguiu recorde com 1 bilhão de logins por dia e 1,5 bilhão de usuários ativos mensais. Ou seja, uma em cada sete pessoas do mundo entra todos os dias na plataforma, e isso sem contar outros serviços do Facebook, como o Instagram e o WhatsApp. As pessoas insistem há algum tempo que o Facebook perdeu o seu apelo “cool”, mas os números mostram que os usuários estão mais conectados do que nunca.

zuckerberg_mwc 625

Carros sem motorista ficam mais perto 

Apesar de os carros autônomos do Google receberem toda a atenção – e terem atingido uma marca histórica com os primeiros protótipos chegando às estradas neste ano – o lançamento do recurso Autopilot pela Tesla foi tão significativo quanto. O recurso permite que as SUVs Model X e os mais recentes sedans Model S realizem ações como dirigir, frear e acelerar por conta própria em rodovias, alertando os motoristas quando a intervenção humana for necessária. Ainda estamos distante dos carros totalmente autônomos – até mesmo o Autopilot sugere ficar de olho na estrada– mas 2015 trouxe grandes avanços na área.

tesla-model-s-625