Google TV: lançamento está próximo, mas o que sabemos até agora?

PC World/EUA
09 de setembro de 2010 - 09h50
Empresa não deu mais detalhes sobre o produto desde a demonstração feita em maio; confira o que já foi revelado por ela e por seus parceiros.

A previsão de que a Google TV estará disponível já no outono americano não é novidade, mas já que a empresa não falou mais nada sobre o produto desde maio, é hora de uma atualização. A seguir, uma rápida síntese de tudo que já se sabe sobre a inovação da Google, uma antecipação ao iminente lançamento:

O que é Google TV?
É uma plataforma que une a Internet à tradicional televisão. Alguns recursos são semelhantes ao famoso TiVo Premiere dos Estados Unidos, como a busca por filmes e shows e a possibilidade de assisti-los via cabo ou Web, mas a proposta da Google é mais abrangente: com o seu produto, o “telespectador” poderá assistir a vídeos em Flash, ler notícias, enviar e-mails, e personalizar sua tela inicial com seus canais e sites favoritos.

Então, não é uma televisão?
Não exatamente. Do mesmo modo que o Android é uma plataforma para smartphones fabricados, por exemplo, por Motorola e HTC, o Google TV funcionará em aparelhos de outras empresas. Até agora, a Logitech já anunciou um set-top box de nome Revue e a Sony revelou a intenção de lançar televisões que integrem o sistema. Qualquer conversor será capaz de se conectar com dispositivos com o Google TV, mas receptores de sinal com gravador digital serão otimizados para a função, dispondo também de filmes on-demand e guias de TV.

Como será a aquisição de serviços para TVs da plataforma?
Da mesma forma que hoje é feito no computador, a partir do browser, em sites. No entanto, não se sabe se serviços como o Hulu Plus ou o Netflix terão tratamento especial. Em sua demonstração, a Google exibiu como conteúdos da Amazon serão sincronizados à interface do programa.

Haverá aplicativos?
A Google TV suportará aplicativos da Android Market já no ano que vem, mas não está claro como eles serão manuseados, pelo controle remoto ou por algum outro método. Simultaneamente, a gigante das buscas tem encorajado desenvolvedores a criar aplicativos que se adaptem melhor a grandes telas e que possam ser controlados por botões.

Mouse e teclado serão necessários?
É possível, mas no caso da Logitech haverá um controle que combinará botões tradicionais, teclas de teclado e interface sensível ao toque. A empresa também oferecerá aplicativos gratuitos para Android e iPhone para este fim. Há uma imagem na Internet que revela os diferentes tipos de controle que poderão ser usados. A Sony não divulgou seus planos nesse quesito.

Mais algum tipo de integração com smartphones?
Usuários de Android poderão controlar a Google TV pela voz, em pesquisas ou em funções específicas, como assistir um vídeo do celular na televisão.

Posso assistir a filmes ou shows armazenados em outros dispositivos?
Acredito que o suporte a aplicativos do Android permitirá o acesso ao conteúdo de outros aparelhos, como computadores em rede ou media centers, via streaming, mas a Google, a Logitech ou a Sony não se pronunciaram sobre o assunto.

Quanto vai custar?
Isso ainda é um mistério. Para efeito de comparação, considere que a Apple TV custa 99 dólares e o Boxee Box, que chegará em novembro, deverá sair por 200 dólares. O Google TV não deverá fugiu desses valores.

(Jared Newman)