Microsoft amplia prazo para venda de PCs com Windows XP em cinco meses

IDG News Service/EUA
28/09/2007 - 08h52
Nova York - Diante da adesão mais lenta que a prevista do Vista, computadores com XP instalado poderão ser vendidos até 30 de junho de 2008.

A Microsoft vai estender em cinco meses o tempo para que fabricantes de computadores coloquem nas prateleiras máquinas rodando o Windows XP.

A companhia planejava que até 31 de janeiro de 2008, fabricantes de PCs e varejistas parassem de vender o XP, enquanto os fornecedores de sistemas customizados teriam até 31 de janeiro de 2009 para migrar totalmente para o novo Windows Vista.

Mas como as vendas de PCs com o Vista não foram tão bem como se esperava, os OEMs e varejistas pediram à Microsoft uma ampliação do tempo de disponibilidade do XP. Agora, os computadores com XP poderão ser vendidos até 30 de junho de 2008, disse a Microsoft.

A empresa afirmou ainda que os varejistas podem vender o XP na prateleira por quanto tempo quiserem.

O prazo de vendas da edição Windows XP Starter Edition, voltada a mercados emergentes como o Brasil, também foi estendido até 30 de junho de 2010.

Pela política da Microsoft, um novo Windows deveria ficar quarto anos no mercado depois do lançamento, mas o XP, lançado em 25 de outubro de 2001, teve mais de cinco anos até o lançamento do Vista, em 31 de janeiro de 2007.

Mesmo assim, as vendas do Vista para consumidor final não foram tão bem quanto a Microsoft previa e a empresa já reduziu suas projeções para adoção do sistema. A companhia previa que a proporção de vendas entre XP e Vista seria de 15% para 85% ao final do seu ano fiscal, em 30 de junho de 2008, mas já alterou a projeção para 22% (XP) contra 78% (Vista).

Muitos consumidores e empresas já disseram que vão aguardar o primeiro pacote de atualizações para o Vista – o Service Pack 1 (SP1), que deve ser lançado no primeiro trimestre de 2008 – para migrar do XP.

Elizabeth Montalbano, editora do IDG News Service, de Nova York