CEO da Apple quer lei de privacidade de dados no estilo do GDPR nos EUA

Da Redação
25 de outubro de 2018 - 15h00
Durante evento na Europa, Tim Cook afirmou que os dados pessoais são transformados em armas de "eficiência militar" contra os próprios usuários.

O CEO da Apple, Tim Cook, afirmou nesta semana que os Estados Unidos precisam de uma lei de privacidade no estilo do GPDR (Regulamento Geral de Proteção de Dados), que passou a ser fiscalizada recentemente na Europa. As informações são do Engadget.

A afirmação foi feita durante um evento sobre privacidade em Bruxelas, na Bélgica, quando o executivo destacou a “implementação bem-sucedida” do GPDR e afirmou que é hora do mundo seguir pelo mesmo caminho. “Nós na Apple apoiamos totalmente uma lei federal e compreensiva de privacidade nos EUA”, explicou, conforme o site. 

 Além disso, aponta o Engadget, Cook também apontou que os dados pessoais dos usuários são transformados em armas contra eles próprios com “eficiência militar”.  

“Atores desonestos e até mesmo governos se aproveitaram da confiança dos usuários para aprofundar divisões, incitar violência, e até mesmo enfraquecer o nosso senso compartilhado do que é verdadeiro e falso. Essa crise é real. Não imaginada, ou exagerada, ou louca”, apontou Cook, que, no entanto, não citou nomes de empresas ou governantes.

Entre outras cosias, o GPDR protege dados como informações básicas de identidade, dados da web, dados de saúde e genéticos, dados biométricos, dados raciais, opiniões políticas e orientação sexual. Clique aqui para saber mais sobre a lei.