Amazon abandonou ferramenta de recrutamento de AI que discriminava mulheres

Da Redação
11 de outubro de 2018 - 17h00
Segundo reportagem da Reuters, o software da gigante penalizava candidatas que estudaram em faculdades para mulheres e currículos com o termo "women's".

A Amazon teve de abandonar no ano passado uma ferramenta de recrutamento baseada em Inteligência Artificial (AI) por apresentar um viés contra mulheres, segundo informações da Reuters.

De acordo com a agência, o software usado pela gigante penalizava as candidatas que tivessem frequentado faculdades apenas para mulheres e também os currículos que continham a palavra “women’s” (“mulheres”), usada para designar iniciativas femininas.

“Eles literalmente queriam que fosse um mecanismo em que vou te dar 100 currículos e ele vai separar os cinco melhoes, e vamos contratar essas pessoas”, afirmou à Reuters uma fonte próxima do assunto não identificada sobre a solução usada pela Amazon.

Uso restrito

O The Verge conversou com uma fonte da Amazon, que apontou que o programa em questão foi usado apenas em testes e não chegou a ser adotado em grupos maiores ou de forma independente.

Além disso, essa mesma fonte afirmou ao site em questão que a ferramenta de recrutamento foi abandonada pela Amazon por diferentes razões e não apenas a questão do viés citada acima, que foi corrigida pela companhia.