Apple completa aquisição do Shazam, mas futuro do app é incerto

Jason Cross, Macworld (EUA)
26 de setembro de 2018 - 14h00
Ainda não está claro o que a Apple planeja fazer com o aplicativo ou sua tecnologia subjacente

A Apple anunciou formalmente que concluiu a aquisição do Shazam, o aplicativo de identificação de músicas que se tornou tão grande que tem seu próprio game show. A empresa anunciou pela primeira vez que iria adquirir a empresa em dezembro de 2017 por um preço não divulgado (segundo rumores, cerca de US $ 400 milhões).

“Apple e Shazam têm uma longa história juntos. O Shazam foi um dos primeiros aplicativos disponíveis quando lançamos a App Store e se tornou um aplicativo favorito para fãs de música em todos os lugares. Com um amor compartilhado por música e inovação, estamos entusiasmados em reunir nossas equipes para fornecer aos usuários ainda mais formas excelentes de descobrir, experimentar e curtir músicas”, disse Oliver Schusser, vice-presidente da Apple Music.

Ainda não está claro o que a Apple planeja fazer com o aplicativo Shazam ou sua tecnologia subjacente. A Apple apenas disse: "O aplicativo em breve oferecerá sua experiência livre de anúncios para todos os usuários, para que todos possam aproveitar o melhor do Shazam sem interrupção".

Essa é uma boa notícia para o curto prazo. No longo prazo, é difícil saber o que significa essa compra. O aplicativo Shazam acabará? A versão do Android desaparecerá? Será que continuará a oferecer integração com o Spotify?

O melhor que os fãs do aplicativo Shazam podem esperar é que a Apple deixe o aplicativo em paz, com o suporte do Android e a integração do Spotify intactos, enquanto desenvolve sua tecnologia nos produtos da própria Apple. É fácil imaginar um ícone de “ouvir” no Apple Music para identificar uma música e levá-lo diretamente para sua página.

A ferramenta já está integrada ao Siri. Ao perguntar à assistente para “dizer o nome” ou “que música está tocando”, ela irá escutar e fornecer uma resposta do Shazam com um link para o Apple Music. Talvez o iOS 13 contenha um recurso de identificação de músicas sempre em escuta, como o do Pixel 2. A Apple também poderia fazer mais com o Shazam e o HomePod.