Mergulhador britânico processa Elon Musk após ser chamado de pedófilo

Da Redação
19 de setembro de 2018 - 18h00
Em ação judicial, Vern Unsworth, que trabalhou no resgate dos 12 garotos presos na caverna da Tailândia, acusa executivo de difamação e pede por US$75 mil

Um dos mergulhadores que participou do resgate aos 12 garotos presos na caverna da Tailândia em julho entrou com um processo por difamação contra o CEO da Tesla e SpaceX, Elon Musk, após o executivo chamá-lo de “pedófilo” no Twitter. As informações são do The Guardian.

Em sua ação judicial, que teve entrada na corte federal de Los Angeles, nos EUA, o britânico Vern Unsworth, 63 anos, pede por pagamentos de danos no valor de 75 mil dólares, além de uma ordem para que Musk não volte a fazer outras alegações do tipo. 

De acordo com o jornal britânico, que teve acesso ao processo, Unsworth acusa Musk de ter “publicado acusações falsas e hediondas de criminalidade contra ele em público”. O mergulhador também pretende entrar com ações nas cortes da Inglaterra e do País de Gales, conforme a reportagem.

Vale lembrar que Unsworth tinha afirmado em julho que pretendia entrar na justiça contra o CEO da Tesla e SpaceX por conta das publicações no Twitter.

Entenda o caso

Em uma série de tuítes no dia 15 de julho, Musk disse que iria produzir um vídeo onde provava que o submarino conseguiria alcançar as crianças e, em um comentário direcionado a Unsworth, o insultava: "Desculpe, pedófilo, você realmente pediu por isso". Quando um internauta perguntou a Musk se ele estava chamando o homem que encontrou as crianças de pedófilo, o empresário respondeu: "Eu aposto um dólar de que é verdade". Os tuítes foram apagados.

Os insultos de Musk aconteceram após uma entrevista de Unsworth à CNN, em que o mergulhador diz que a proposta de mini-submarino desenvolvida por Musk não passou de uma jogada de marketing e não tinha chance alguma de dar certo. 

"Não tinha como funcionar. Ele não tinha nenhuma ideia de como era a passagem na caverna. O submarino, penso eu, era sólido com 1,6 m de comprimento, seria incapaz de contornar quaisquer obstáculos e curvas", completou. Unsworth foi ainda mais longe e disse que Musk poderia enfiar o submarino no lugar onde lhe doesse.

Unsworth, que vive na Tailândia, foi um dos primeiros mergulhadores a chegar ao distrito de Mae Sai depois de que os garotos do time "Javalis Selvagens" ficaram presos na caverna inundada quando tentavam se proteger da chuva. Outros resgatistas disseram que o mergulhador experiente usou de seu conhecimento do sistema da caverna e seus contatos na comunidade de mergulhadores para organizar uma resposta que foi crucial para localizar os garotos dez dias depois e, claro, resgatá-los com vida.