Tesla é investigada nos EUA por tuítes de Musk sobre saída da bolsa

Da Redação
18 de setembro de 2018 - 18h30
Empresa confirmou nesta terça-feira, 18/9, ter sido contatada pelo Departamento de Justiça sobre afirmações feitas pelo seu CEO em agosto.

A Tesla está sendo investigada pelo Departamento de Justiça dos EUA por conta dos tuítes publicados em agosto pelo seu CEO Elon Musk sobre uma possível saída da empresa da bolsa de valores.

A informação sobre a investigação pelo governo americano foi publicada inicialmente pela Bloomberg, que citou duas pessoas próximas do assunto como fontes. Depois disso, a própria Tesla confirmou ter sido contatada pelo Departamento de Justiça.

“No mês passado, após o anúncio de Elon de que estava considerando fechar o capital da empresa, a Tesla recebeu um pedido voluntário por documentos do Departamento de Justiça e respondeu de forma cooperativa”, afirmou a fabricante em um comunicado sobre o assunto enviado à Bloomberg

Além disso, a Tesla destaca que não recebeu uma intimação, solicitação de testemunho ou outro processo formal. “Respeitamos o desejo do Departamento de Justiça de obter informações sobre isso e acreditamos que o assunto será resolvido rapidamente à medida que eles analisam as informações que receberam.” 

Entenda o caso

A história sobre a possível saída da Tesla da bolsa de valores teve início em 7 de agosto, quando Musk publicou em seu perfil no Twitter que “estava considerando fechar o capital da Tesla por 420 dólares (a ação)” – o que fez com que fosse aberta uma investigação sobre a companhia por parte do órgão regulador SEC (Securities and Exchange Comission) nos EUA.

Depois disso, o CEO fez alguns posts no blog da empresa para defender essa mudança operacional - veja aqui (texto de 7 de agosto) e aqui (texto de 13 de agosto) a íntegra dos dois posts. No entanto, a recepção não foi das melhores dentro da companhia.

Isso porque o conselho de diretores da Tesla chegou a formar um comitê especial para barrar qualquer proposta de Musk neste sentido – o comitê seria formado por Brad BussRobyn Denholm e Linda Johnson Rice, conforme reportagem da CNET.

Por conta da recepção negativa, Musk desistiu da ideia no final de agosto, quando anunciou que o capital da companhia continuará aberto. “Apesar de a maioria dos acionistas com quem falei terem dito que continuariam com a Tesla caso fechássemos o capital, o sentimento, em poucas palavras, era ‘por favor, não faça isso”, afirmou Musk em um post intitulado “Staying public”, publicado no blog da Tesla.

No texto, o executivo também destacou que tinha ficado claro que o processo para fechar o capital da Tesla seria ainda mais demorado e distrativo do que o previsto inicialmente, o que contribuiu para a decisão de manter o capital aberto. 

“Isso é um problema porque devemos absolutamente ficar focados em construir o Model 3 e nos tornar lucrativos. Não iremos alcançar a nossa missão de avançar com a energia sustentável a não ser que também sejamos financeiramente sustentáveis”, explica Musk no texto.