Artigo: novas perspectivas e desafios para o mercado de PCs e notebooks

Flávio Costa*
28 de agosto de 2018 - 17h30
Fabricantes de equipamentos de informática que desejam manter seu negócio em crescimento precisam inovar em produtos e revolucionar nas entregas.

Em plena era digital estamos diante de grandes transformações motivadas pelos avanços científicos dos últimos anos. Dentre os diversos avanços tecnológicos, o que mais impactou o mundo foi a Internet por modificar completamente a forma de comunicação e de consumo. Para atender um consumidor conectado e ávido por soluções práticas e ágeis, a indústria também precisou adequar seus dispositivos, oferecendo tablets e smartphones, que hoje são o principal meio de acesso à informação, comunicação e produtos entre os brasileiros. Entre tantas transformações, qual é o novo papel dos PCs e dos notebooks?

A função dos computadores ganhou novas definições de segurança, robustez e praticidade. Apesar da constante evolução dos dispositivos, pesquisas do Gartner realizadas no final de 2017 indicam que os usuários ainda dependem de seus computadores tanto quanto de seus smartphones. O estudo mostra que 40% das pessoas usam computadores ou tablets para atividades diárias como ler e escrever e-mails mais detalhados ou assistir a vídeos, enquanto 34% utilizam seus smartphones por comodidade enquanto se locomovem.

No Brasil, o volume de vendas de PCs voltou a aumentar a partir de 2017, o que também possibilitou investimentos das fabricantes na atualização do parque industrial. Para 2018, as expectativas são de crescimento de 2% das vendas, com a comercialização de 5,3 milhões de máquinas, segundo a IDC Brasil, empresa de pesquisa de mercado.

Projeções reforçam que a presença de PCs ainda é relevante entre os usuários de tecnologia. Um levantamento divulgado este ano pelo Gartner indica a produção de 62,1 milhões de unidades de PCs no mundo no segundo trimestre de 2018. O estudo ressalta que os números representam um aumento de 1,4% em comparação ao mesmo período de 2017.  Os embarques mundiais de PCs, tablets e smartphones devem exceder a marca de 2,35 bilhões de unidades até o final deste ano, o equivalente a um ganho de 2% com relação às remessas registradas em 2017. Se concretizado, esse pode ser o maior crescimento anual desde 2015.

O aumento desses embarques mundiais no segundo trimestre de 2018 foi impulsionado pela demanda do setor de negócios. No mercado norte-americano, por exemplo, a indústria de PCs voltou a crescer após seis trimestres consecutivos de queda nas remessas. No segundo trimestre de 2018, tivemos 14,5 milhões de novos PCs nos Estados Unidos, representando um aumento de 1,7% em relação ao mesmo período de 2017. O avanço foi motivado principalmente pela demanda do setor de negócios e do governo.

Os números indicam tempos de mudanças nas preferências dos consumidores e uma participação crescente de dispositivos capazes de proporcionar praticidade. Clientes buscam soluções que atendam suas necessidades e esperam que as empresas estejam prontas para oferecer produtos e serviços adequados e eficientes. Nesse sentido, as fabricantes de computadores precisam acompanhar as novas tendências do mercado de tecnologia com foco na valorização dos diferenciais que são importantes para seus exigentes clientes.

Quando se trata de computadores, consumidores tem valorizado a facilidade para o deslocamento dos equipamentos. Nesse caso, os notebooks estão ficando cada vez mais finos e leves, ao mesmo tempo em que contam com um maior rendimento e mais funcionalidades. Os equipamentos atuais possuem mais capacidade de memória RAM e disco rígido, além de sistemas de segurança com criptografia de dados. As baterias passam por constantes evoluções para atender às exigências de mais autonomia por parte do mercado consumidor. Melhorias em definição das telas, taxas de atualização, ângulo de visão e tempo de resposta também são incorporadas para acompanhar a sofisticação dos gráficos atuais.

Outro ponto a ser considerado é a revolução que a Internet das Coisas (IoT) tem provocado, conectando objetos e objetivos. Hoje já existem aplicativos que permitem o acesso e o controle, remotamente e por meio de dispositivos móveis, do conteúdo de computadores. Essa aliança tecnológica une a praticidade dos smartphones com a segurança e a robustez dos PCs e é apenas um entre os inúmeros exemplos de como as novas tecnologias podem e devem ser utilizadas para agregar serviços e facilidades para os clientes.

A mudança de comportamento do consumidor de computadores pode impactar o crescimento do mercado. No entanto, isso não pode ser encarado como uma ameaça, mas como uma oportunidade para elevar o padrão de PCs e notebooks, agregando IoT nas funcionalidades e investindo em inovação para triunfar nos negócios.

Fabricantes de equipamentos de informática que desejam manter seu negócio em crescimento precisam inovar em produtos e revolucionar nas entregas. Além disso, não pode ser menosprezado o fato de que o mercado brasileiro de computadores já está maduro.  Se apresenta, portanto, uma tendência de atualização de equipamentos, para modelos que precisam apresentar ainda mais robustez, qualidade, segurança e praticidade. Essa nova perspectiva para PCs e notebooks traz em si desafios, mas oferece excelentes possibilidades de redesenhar modelos e negócios e um mercado que tem por cultura a contínua reinvenção.

*Flávio Costa é diretor da DATEN

  • # Tópicos
  • # PC