Após polêmicas, Musk desiste de retirar Tesla da bolsa de valores

Da Redação
27 de agosto de 2018 - 10h00
Em post no blog da empresa, executivo defende necessidade de a fabricante ser "financeiramente sustentável" e destaca desafios para fechar o capital.

O CEO da Tesla, Elon Musk, colocou um fim na novela sobre a possível saída da fabricante de carros da bolsa de valores ao afirmar na última sexta-feira, 24/8, que o capital da empresa continuará aberto.

“Apesar de a maioria dos acionistas com quem falei terem dito que continuariam com a Tesla caso fechássemos o capital, o sentimento, em poucas palavras, era ‘por favor, não faça isso”, afirmou Musk em um post intitulado “Staying public”, publicado no blog da Tesla.

No texto, o executivo também destacou que tinha ficado claro que o processo para fechar o capital da Tesla seria ainda mais demorado e distrativo do que o previsto inicialmente, o que contribuiu para a decisão de manter o capital aberto. 

“Isso é um problema porque devemos absolutamente ficar focados em construir o Model 3 e nos tornar lucrativos. Não iremos alcançar a nossa missão de avançar com a energia sustentável a não ser que também sejamos financeiramente sustentáveis”, explica Musk no texto.

Entenda o caso

A história sobre a possível saída da Tesla da bolsa de valores teve início em 7 de agosto, quando Musk publicou em seu perfil no Twitter que “estava considerando fechar o capital da Tesla por 420 dólares (a ação)” – o que fez com que fosse aberta uma investigação sobre a companhia por parte do órgão regulador SEC (Securities and Exchange Comission) nos EUA.

Depois disso, o CEO fez alguns posts no blog da empresa para defender essa mudança operacional - veja aqui (texto de 7 de agosto) e aqui (texto de 13 de agosto) a íntegra dos dois posts. No entanto, a recepção não foi das melhores dentro da companhia.

Isso porque o conselho de diretores da Tesla chegou a formar um comitê especial para barrar qualquer proposta de Musk neste sentido – o comitê seria formado por Brad BussRobyn Denholm e Linda Johnson Rice, conforme reportagem da CNET.

Entrevista derruba ações

Nas últimas semanas, Musk dominou as manchetes nos EUA por conta de uma entrevista para o The New York Times.  “Esse último ano foi o mais difícil e doloroso da minha carreira. Foi excruciante”, afirmou o bilionário ao jornal, conforme publicado na última quinta-feira, 16/8.

A reportagem do NYT também aponta que Musk algumas vezes precisa recorrer a medicamentos para dormir. “Normalmente é uma escolha entre não dormir ou tomar Ambien”, explicou o empresário, que revelou ainda que alguns amigos já se mostraram “muito preocupados” com a sua saúde.

Após a publicação da entrevista, durante a qual Musk teria alternado entre o choro e o riso, de acordo com o New York Times, as ações da Tesla caíram aproximadamente 9%