Austrália proíbe Huawei de fornecer equipamentos para rede móvel 5G

Da Redação
23 de agosto de 2018 - 15h20
Governo cita riscos de interferência estrangeira na política; Para Pequim, decisão é 'discriminatória'

A chinesa Huawei Technologies sofreu revés de outro governo. Depois dos Estados Unidos restringir equipamentos da fabricante, além de banir seus smartphones do mercado local, a empresa de telecomunicações foi proibida pela Austrália de fornecer equipamentos para uma rede móvel 5G. O governo australiano cita riscos de interferência estrangeira e de invasão virtual. 

Segundo reportagem da Reuters, a decisão acontece após recomendações de agências de segurança, mas são uma resposta direta às alegações de Camberra, capital federal da Austrália, que sugerem a possibilidade de intromissão chinesa na política australiana.

Em comunicado por e-mail emitido nesta quinta-feira (23), o governo australiano disse que a segurança nacional tipicamente aplicada a operadoras de telecomunicações seria agora ampliada a fornecedores de equipamentos. A Austrália defende que as empresas que são "propensas a serem sujeitas a direcionamento extrajudicial de um  governo estrangeiro" deixariam a rede do país vulnerável ao acesso não autorizado, apresentando um risco para a segurança. A lei chinesa demanda que cidadãos e organizações apoiem, ajudem e cooperem com serviço de inteligência. Dessa forma, na teoria o equipamento da Huawei estaria mais suscetível a espionagem.

Apesar de não ter identificado a Huawei no documento, a Reuters diz que uma autoridade do governo australiano informou que a ordem tinha como alvo a fabricante chinesa em questão. 

Por meio de comunicado no Twitter, a unidade australiana da Huawei negou que seja controlada por Pequim. Já o porta-voz do Ministério de Relações Exteriores Lu Kang, em Pequim, disse que a China expressou "séria preocupação", acrescentando que a Austrália não deveria "usar várias desculpas para artificialmente colocar barreiras e conduzir práticas discriminatórias".

A Reuters lembra que anteriormente, a Austrália havia banido a Huawei de fornecer equipamento para sua rede de fibra óptica e avançou para impedir a empresa de colocar cabos submarinos no Pacífico.