Uso amplo do Bitcoin pode parar a Internet, segundo grupo bancário suíço

Da Redação
04/07/2018 - 13h00
Em relatório, Banco de Compensações Internacionais chama a atenção para desafios para uma possível substituição das moedas tradicionais por criptomoedas.

O Bitcoin e as criptomoedas são cada vez mais conhecidas e usadas pelo mundo, mas dificilmente substituirão as moedas tradicionais como real e dólar nas transações do dia-a-dia, segundo um novo relatório do Banco de Compensações Internacionais (BIS, de Bank for International Settlements, em inglês). As informações são da CNN.

No documento, intitulado “Cryptocurrencies: looking beyond the hype”, o órgão baseado na Suíça destaca os possíveis problemas trazidos por uma adoção mais ampla de criptomoedas no mundo. De acordo com o BIS, processar todos os pagamentos com essas moedas “poderia fazer a Internet parar”.

Entre outras coisas, o estudo, que foi publicado em junho, destaca a necessidade de contar com uma capacidade de armazenamento e processamento extremamente altas para dar conta do volume atual de transações digitais do varejo.

O Bitcoin, assim como outras criptomoedas, registram as suas transações em plataformas digitais descentralizadas. Caso o volume dessas transações aumente de forma a dar conta do volume global, a capacidade dos servidores e computadores seria rapidamente esgotada para dar conseguir lidar com o grande volume de dados envolvido no processo, conforme aponta a rede norte-americana.

Em seu relatório, o BIS também chama a atenção para a instabilidade das criptomoedas. Para quem não lembra, o Bitcoin chegou a valer cerca de 19 mil dólares no final do ano passado, mas sofreu uma queda brusca nos meses seguintes e hoje está avaliado abaixo dos 7 mil dólares.

Vale lembrar que esse não é o primeiro artigo a apontar possíveis problemas com uma adoção em massa do Bitcoin. No fim de 2017, o meteorologista Eric Holthaus escreveu sobre o uso cada vez maior de energia exigido por essas criptomoedas.

> Acompanhe o IDG Now! também nas redes sociais. Estamos no FacebookTwitter Instagram