Cubo Itaú e Kroton anunciam parceria para acelerar startups de educação

Por Carla Matsu
19/06/2018 - 13h20
Iniciativa também contribuirá com o processo de transformação digital da própria gigante de ensino

O Cubo, espaço de inovação e empreendedorismo do Itaú, e a Kroton Educacional anunciaram nesta terçã-feira (19/06) parceria para criar um programa dedicado às chamadas Edtechs, como são conhecidas as startups de educação. A iniciativa terá início em agosto, quando o Cubo inaugura sua nova sede, um espaço que terá capacidade para abrigar cerca de 210 startups, em São Paulo, capital.

De acordo com Rodrigo Galindo, diretor-presidente da Kroton, o objetivo da parceria é aliar forças com as startups para inovar o aprendizado seja ele no ensino básico seja na educação superior para, eventualmente, conseguir impactar a vida de 1 milhão de pessoas. Ao mesmo tempo, ao se aliar ao Cubo nesta projeto, a Kroton busca acelerar seu processo de transformação digital que, segundo Galindo, iniciou há cerca de oito meses. Dessa forma, startups residentes do Cubo, de fintechs a startups de recursos humanos, poderão ter suas soluções absorvidas pela Kroton. No final do dia, a gigante do ensino, que detém a rede de escolas Pitágoras e as faculdades Anhaguera, se torna uma cliente em potencial das startups do Cubo e vice-versa.

Batizado de Cubo Education, o programa ainda está na fase de curadoria das startups, que poderão estar desde o estágio inicial a fase mais madura. A Kroton nem o Itaú compartilharam informações a respeito do investimento que será dedicado às startups e não detalharam a contrapartida para as empresas que se aliarão ao programa. "Não definimos um limite de verba. Queremos acelerar parcerias que se proponham a entregar uma solução já pronta e aquelas que ainda estão se formando", disse Galindo. "Estamos aqui para aprender com elas também", completou. 

Com a parceria, a Kroton será responsável por administrar um andar inteiro do Cubo Itaú, com capacidade para abrigar entre 10 a 12 startups. No local, a iniciativa dedicará laboratórios para testar as soluções, como salas de gravação de vídeos. Segundo Felipe Mattos, diretor de Analytics e Inovação da Kroton, o espaço contará com um ambiente ao vivo de aprendizagem. A ideia aqui é testar modelos que possam oferecer o melhor do ensino online e offline. Mattos é um dos fundadores da startup Stuadire, que desenvolveu um sistema de ensino de aprendizado adaptativo e que foi comprada pela Kroton em 2015 por R$ 4,1 milhões.

O programa também prevê que parte da equipe da Kroton fique alocada no Cubo para acompanhar o desenvolvimento dos projetos, além de dar mentorias aos empreendedores e identificar oportunidades de inovação para a companhia. Um dos efeitos colaterais previstos com a parceria é também poder incubar projetos de empreendedorismo de alunos da própria Kroton.