Empreender não precisa ser tão difícil

Alexandre Souza *
01/06/2018 - 09h12
Empresas são como pessoas, com um DNA próprio e existe mais do que uma forma se chegar ao topo

Acredito no poder do compartilhamento entre diferentes níveis de empreendedores. Afinal, abrir uma empresa não é fácil. É necessário entender toda a burocracia; desenvolver um planejamento inicial; esperar a empresa estar juridicamente regulamentada; aprender a selecionar talentos; conquistar clientes; melhorar ou pivotar rapidamente seu produto; e se for possível trocar conhecimento com quem já passou por isso antes, melhor ainda.

Afinal, não existe um playbook para sucesso. Empresas são como pessoas, com um DNA próprio e existe mais do que uma forma se chegar ao topo. Quem afirma isso é Therese Tucker, CEO e fundadora da Blackline, uma multinacional americana de soluções de gerenciamento financeiro na nuvem. Compartilho um resumo das principais experiências repassadas na palestra de Therese, no último dia do SaaStr, maior evento de SaaS do mundo, que aconteceu no Vale do Silício.

Seja humilde
Ser o fundador de uma empresa não faz de você um rock star. Não seja uma estrela. Tenha autoconfiança e coragem, mas permaneça humilde. A humildade pode trazer a claridade e o conhecimento necessário para você crescer.

Não se compare

Você não está fundando a próxima Oracle, Salesforce ou Amazon e sim escrevendo a sua própria história. “Demorei 15 anos para fazer IPO e chegar onde cheguei. E passei por uma encruzilhada em 2009 quando precisava definir se investia ou não em SaaS. Vale lembrar que naquela época as empresas não sabiam o que era software as a service”, comentou Therese Tucker, CEO da BlackLine, em sua palestra, no SaaStr 2018,

Clientes antes de investidores
Foque em conseguir consumidores e não em captar dinheiro. A maioria dos ganhadores de loteria estão quebrados em até três anos. Ou seja, por mais capital que você tenha, não gaste de forma exagerada ou impensada.

Desenvolva seus talentos
Saiba que os melhores funcionários já trabalham em grandes empresas e ganham muito dinheiro. Portanto, você terá que decidir entre aqueles que sobrarem: se são bons, baratos ou apenas que não sejam loucos. Escolha dois. De qualquer forma eles deverão passar por mentorias e desenvolver suas habilidades. “Meu primeiro engenheiro, por exemplo, não tinha nem terminado a faculdade e o outro de vendas não sabia nem o que era Saas. Eles aprenderam e continuam até hoje por aqui.” contou Therese Tucker.

Diversidade
Diversifique o seu time e contrate mulheres. “Ainda somos as que recebem menos de 2% dos investimentos de Venture Capital, mas mulheres são um ativo desvalorizado no mercado. Contrate pessoas que consigam ser multitarefas e tomadoras de decisões. Ah, e pode ter certeza que se você pagar o que elas realmente merecem, isso já será um diferencial”, explicou Therese.

Saiba que você pode chorar, mas vai rir muito também. O trabalho nunca será chato e, se estiver muito pesado, procure ajuda. Um bom mentor pode passar para você o conhecimento adquirido em anos de empreendedorismo. É muito bom ter alguém para dividir suas principais dores e, hoje em dia, os programas que oferecem mentorias estão espalhados por todo o país.

 

(*) Alexandre Souza é gestor do programa Startup SC