Mandaê levanta US$ 7,1 milhões em nova rodada de investimentos

Da Redação
15 de maio de 2018 - 06h38
Com participação da IFC do Grupo Banco Mundial, UPS, Mercado Livre, entre outras, para reinventar a logística de encomendas

Startup brasileira de logística Mandaê anunciou a captação de US$ 7,1 milhões em uma nova rodada de investimentos. Chamada de Série B, a rodada foi liderada pela IFC, membro do Grupo Banco Mundial, e contou com a participação da UPS Strategic Enterprise Fund, Mercado Livre Fund., Tekton Ventures, FJ Labs e outros investidores já participantes, como Performa Investimentos, Qualcomm Ventures (o braço de investimentos da Qualcomm Incorporated), Monashees e Icon Holding Company.

“A área de Venture Capital da IFC foca em iniciativas de inovação baseadas em tecnologia; globalmente, nos dois últimos anos, fizemos mais de U$ 80 milhões em investimentos early stage no setor de logística. A IFC tem orgulho em apoiar a missão da Mandaê de viabilizar a redução dos custos de envio e o aumento da eficiência de pequenas e médias empresas, setor em crescimento no Brasil”, comenta Stevon D. Darling, executivo da IFC da área de investimentos em Venture Capital da América Latina.

A Mandaê é uma plataforma multilateral que organiza a totalidade da cadeia de suprimentos de encomendas para oferecer às empresas um serviço de envio eficiente e de alta qualidade, fazendo com que economizem até 35% de gastos com frete. É pioneira no uso da abordagem “asset-light” na indústria de encomendas, trabalhando com diversos parceiros em cada uma das principais etapas do envio de encomendas: coleta, cross-docking e last mile, também conhecida como última milha.

A startup usa tecnologia para organizar a jornada de transporte mais eficiente para cada pacote, desde a seleção dos veículos que vão fazer a coleta nos embarcadores (incluindo a otimização da rota de coleta), identificação da melhor operação de cross-docking para onde vai cada pacote e a otimização da separação dos pacotes, até a seleção da transportadora para as entregas de meio e última milha.

Essa abordagem é a adaptação ideal à região do Brasil, onde as PMEs em geral têm apenas uma opção de envio: o serviço nacional de envio. A Mandaê é a única plataforma no Brasil que permite às empresas com volume menor de envios utilizarem transportadoras privadas, ajudando-as a economizar uma quantia significativa e garantir uma melhor qualidade de entrega.

O crescimento acelerado do e-commerce também está mudando a expectativa dos consumidores em relação à logística: mais do que nunca, empresas do comércio eletrônico devem promover um serviço de transporte melhor, mais rápido e mais barato, ou correm o risco de perder oportunidades. Além da sua plataforma-núcleo de entrega, a Mandaê também fornece outras funcionalidades para melhorar a experiência de entrega, como logística reversa, dashboards e ferramentas para o gerenciamento de envios, incluindo rastreamento, serviço de controle de qualidade e monitoramento dos custos de envio. A Mandaê permite a integração com plataformas mais usadas de e-commerce e ERPs, além da integração via API.

“O crescimento contínuo do e-commerce é uma das megatendências que estão moldando nosso mundo agora e, como resultado, a logística está se adaptando e se transformando. Especificamente, o que vemos acontecendo é o aumento da desintermediação da cadeia de suprimentos de encomendas”, comenta Marcelo Fujimoto, cofundador e CEO da Mandaê.

A Mandaê atende atualmente empresas embarcadoras do estado de São Paulo. Os recursos desta rodada serão usados no projeto de expansão para outras regiões do Brasil e na aceleração do crescimento da empresa. Essa rodada coloca a Mandaê com o financiamento total de U$ 14 milhões. Os primeiros investidores incluem Valor Capital, Kima Ventures e Hans Hickler, ex-CEO da DHL Express USA.