Microsoft encerra suporte adicional do Windows 10 para empresas

Computerworld / EUA
08/05/2018 - 10h57
Sem alarde, mudança foi oficializada na última semana com o lançamento do April 2018 Update.

A Microsoft encerrou a extensão de seis meses de suporte para os usuários corporativos do Windows 10 com o lançamento do update de recursos mais recente no último dia 30 de abril.

Todas as edições do Windows 10 1803, também conhecido como April 2018 Update, receberão patches de segurança e outras soluções de bugs até novembro de 2019, ou pelo tempo padrão de 18 meses. Isso em contraste com os quatro updates anteriores de recursos, também conhecidos como 1511, 1607, 1703 e 1709 - no formato aamm (ano/mês) da Microsoft. Até então, os usuários do Windows 10 Enterprise ou do Windows 10 Education recebiam 24 meses de suporte para essas versões.

A eliminação desses seis meses adicionais, que a Microsoft chamava de "supplemental servicing" ("manutenção complementar" em tradução livre), foi revelada sem alarde na documentação on-line da atualização mais recente, em que a versão 1803 não foi marcada como uma das edições do sistema recebendo o suporte estendido. "As versões 1511, 1607, 1703 e 1709 do Windows 10 continuarão recebendo updates mensais sem custo adicional por um período de 6 meses após as datas de fim de serviço", afirmou a Microsoft no documento, em referência ao suporte padrão de 18 meses.

Entenda o caso

A Microsoft iniciou essa manutenção complementar em novembro de 2017, quando anunciou que a versão 1511 do Windows 10, um upgrade de recursos liberado em novembro de 2015 e com suporte previsto para ser encerrado em outubro de 2017, receberia algumas correções de segurança até abril de 2018.

Na época, a Microsoft afirmou que só adicionaria suporte ao Windows 10 1511. No entanto, três meses depois a companhia adicionou outras três versões do sistema (1607, 1703 e 1709) ao programa de manutenção suplementar. Assim como aconteceu com o Windows 10 1511, a gigante limitou esse suporte extra às licenças Enterprise e Education e só forneceu os patches de segurança classificados como "críticos" e "importantes".

Apesar de analistas de mercado apontarem que os seus clientes corporativos queriam, e até precisavam, de mais do que 18 meses entre os upgrades de recursos, a Microsoft decidiu eliminar a manutenção complementar.

Em fevereiro, a Microsoft disse que ofereceria "manutenções complementares pagas"a partir de abril, quando as empresas rodando o Windows 10 Enterprise 1607 (assim como os usuários do Windows 10 Education 1607) veriam um corte nos patches.

"Os usuários Volume License que precisarem de mais do que seis meses de manutenção gratuita além de 10 de abril de 2018 poderão garantir 12 meses de manutenção adicional (a partir de 10 de abril de 2018) com a manutenção complementar paga", afirmou o gerente principal do programa, John Wilcox, em um post no blog da empresa de Redmond.

A Microsoft não revelou o custo dessa manutenção complementar paga, nem se ela será oferecida para outras versões além da 1607 quando tiverem os seus suportes, complementares ou não, encerrados.

No entanto, é improvável que a Microsoft crie um programa temporário desse tipo (pago) para apenas uma versão do Windows 10.

Os clientes que precisarem de mais informações sobre a manutenção complementar paga, incluindo custos, devem contatar as suas respectivas equipes, de acordo com a Microsoft.