Justiça sul-coreana libera herdeiro da Samsung acusado de corrupção

Da Redação
05/02/2018 - 11h07
Acusado de corrupção no caso Rasputina, Lee Jae-yong estava preso desde o ano passado. Tribunal de Seul diminuiu pena e autorizou regime aberto

Lee Jae-yong, herdeiro da Samsung, foi autorizado pela Justiça da Coreia do Sul a deixar a prisão, onde estava há quase um ano. Em fevereiro do ano passado, Lee foi condenado a cinco anos de prisão, acusado de corrupção, fraude e perjúrio no caso conhecido como "Rasputina", que provocou o impeachment da presidente da República Park Geun-hye.

O Tribunal de Seul diminuiu a pena para dois anos e meio e autorizou Lee a cumprir em regime aberto, o que permite sair da penitenciária. Os juízes consideraram que não ficou provado que a empresa tenha obtido favores do governo.

O caso teve grande repercussão no país e em todo o mundo. Na saída da prisão, dezenas de jornalistas aguardavam uma palavra do executivo, que evitou fazer declarações.

Lee, de 49 anos de idade, comenda a Samsung desde 2014, quando seu pai sofreu um ataque cardíaco. O grupo, por usa vez, afirma que o herdeiro não teve nenhum papel nas decisões da empresa e que "escutava na maioria das vezes os outros diretores".