Rede corporativa Facebook Workplace fica mais cara para grandes empresas

Computerworld / EUA
23 de janeiro de 2018 - 10h01
Rede social padronizou os valores mensais do seu plano Premium, o que aumentará os custos para novos clientes que tenham mais de 1 mil funcionários.

O Facebook mudou os preços da sua rede social corporativa Workplace, o que resultou em valores maiores para alguns novos usuários - leia-se grandes empresas, no caso.

Lançada oficialmente no fim de 2016, após um longo período beta de 18 meses, a Workplace hoje conta com mais de 30 mil empresas pelo mundo, incluindo grandes clientes como Walmart e Virgin Atlantic. A rede para empresas do Facebook possui dois modelos disponíveis: uma versão gratuita Standard (lançada em abril de 2017), e outra Premium, que oferece é paga e recursos adicionais para companhias maiores como controles administrativos e integrações com terceiros.

Até o momento, o Workplace Premium era baseado em um modelo de preços escalonado, com as empresas pagando menos por adoções maiores do software. Assim, os clientes tinham de pagar 3 dólares por usuário ativo pelos 1 mil primeiros usuários; 2 dólares por usuário ativo pelos 9 mil usuários seguintes; e, finalmente, 1 dólar por cada usuário ativo adicional.

Desde a última sexta-feira, 19/1, o Workplace Premium passou a cobrar um valor fixo de 3 dólares por usuário ativo, independente do tamanho da adoção da plataforma.

“As empresas nos disseram que queriam uma estrutura de preços simples e direta. Acreditamos que a atualização de hoje mantém os preços do Workplace justos, simples e previsíveis”, afirma um porta-voz da rede social sobre a mudança. 

Apesar das alterações realmente simplificarem a estrutura de preços, também significam que adoções maiores, com mais de 1 mil usuários ativos, vão passar a custar mais. Por exemplo, uma companhia adotando o Workplace para o seu quadro de 12 mil funcionários teria pago 23 mil dólares pelo modelo antigo de preços; uma adoção do mesmo tamanho agora vai custar 36 mil dólares ao mês. Já para uma empresa de 5 mil funcionários, o custo mensal subirá de 11 mil dólares para 15 mil dólares a partir de agora.

O Facebook destaca ainda que os novos preços só valem para novos clientes. Quem já era usuário do Workplace antes disso continuará pagando os valores antigos, citados acima. Organizações beneficentes e equipes de instituições educacionais podem acessar o Workplace Premium sem pagar nada. 

Rivais

O Workplace é principalmente uma ferramenta de rede social para empresas, em vez de um aplicativo de chat em grupo no estilo do Slack ou Microsoft Teams, mas a plataforma do Facebook é considerada uma rival no aquecido mercado de softwares para colaboração em equipe. 

Apesar de ser difícil fazer comparações diretas de preço com o Slack por conta das suas funcionalidades diferentes, o Workplace continua sendo a opção mais barata, apesar das mudanças de preços anunciadas na última semana. 

O Slack também opera em um modelo freemium, com uma versão básica do software disponível de forma gratuita. As versões pagas incluem o pacote Standard, que custa 6,67 dólares mensais por usuários, e Slack Plus, que sai por 12,50 dólares mensais por usuário.

A plataforma de rede social corporativa da Microsoft, o Yammer, e sua ferramenta de chats em grupo, o Teams, fazem parte das assinaturas do pacote Office 365.