Especial: as 5 melhores distribuições Linux para empresas

Computerworld / EUA
22/01/2018 - 10h31
Lista inclui opções como Ubuntu Desktop for Enterprise, Red Hat Enterprise Linux Desktop e Linux Mint.

Como qualquer pessoa na área de TI pode te dizer, o Linux invadiu as salas de servidores. O sistema operacional está rodando servidores de arquivos, servidores de impressoras, sistemas de entrega de conteúdos, servidores de VPN, arquivos de dados – é só dizer. Aliás, há uma boa chance de que o Linux esteja presente em algum aspecto importante da sua companhia. 

No entanto, também há boas chances de que o Linux não esteja em muitos desktops da sua empresa, isso se estiver em algum. Isso porque o Windows continua a dominar o segmento dos desktops corporativos. Qualquer invasão costuma ser feita pelo macOS X, da Apple, mas normalmente apenas nas áreas criativas e de marketing. Relativamente poucas empresas consideram a opção do Linux no desktop. Mas nos últimos anos, as distribuições Linux ficaram muito mais sofisticadas e amigáveis aos usuários, e o custo das adoções pode ser apenas uma fração do que custariam instalações de desktop mais tradicionais em grande escala. O Linux também costuma ser visto como uma opção mais segura.

Resumindo: é uma ótima época para explorar opções desktops do Linux amigáveis a empresas. Confira cinco delas abaixo.

Três das cinco distribuições Linux discutidas aqui oferecem suporte confiável e de nível profissional, todas possuem updates frequentes para garantir que as falhas de segurança são solucionadas de maneira adequada, e todas possuem pelo menos alguns níveis de conectividade corporativa já embutidos. Além disso, todas podem rodar programas Windows por meio de máquinas virtuais ou subsistemas como Wine - essa habilidade pode chamar a atenção de executivos, mas levanta a questão sobre ser realmente necessário ou mesmo uma boa ideia.

Também há uma grande diferença de custos entre adotar Linux e Windows: o Linux em si é gratuito, então você só vai pagar pelo suporte do distribuidor. E, sim, você vai querer fazer isso. O preço para um suporte próprio e pronto para empresas ainda faz com que desktops Linux sejam uma opção muito mais barata.

Red Hat Enterprise Linux Desktop

A Red Hat está no mercado desde o início da “era Linux”, sempre focada em aplicações corporativas do sistema, em vez dos usuários. Isso se traduziu em muitos servidores Red Hat em data centers de empresas, mas a companhia também oferece o chamado Red Hat Enterprise Linux (RHEL) Desktop.

É uma escolha sólida para adoção em desktops, e certamente mais estável e segura do que uma instalação padrão do Windows.

A configuração padrão do RHEL Desktop inclui e-mail integrado, agenda, gerenciamento de contatos, um pacote de aplicativos para escritório e capacidades de virtualização para permitir que os usuários rodem o Windows e apps legado quando necessário.

Se você gosta de minimizar riscos ao escolher uma opção popular, vale destacar que o Gartner estima que a Red Hat responde por cerca de dois terços de todas as instalações Linux do mercado. Várias empresas da lista Fortune 500, incluindo Sprint, Bayer, Amadeus e E-Trade utilizam o RHEL.

O RHEL Desktop tem preços a partir 49 dólares por cabeça, o que significa que na próxima vez que você tiver de realizar uma preparação e instalação em um novo escritório de 500 pessoas, por exemplo, não será necessário realizar uma rodada de investimentos para isso. 

SUSE Linux Enterprise Desktop

A SUSE também oferece configurações para desktops e servidores do seu software Linux para empresas.

Como o Linux é uma plataforma aberta e flexível, basicamente quase todos os apps disponíveis em uma plataforma Linux desktop para empresas também estarão disponíveis para outras distribuições. Desta forma, o SUSE também se integra com o Microsoft Active Directory e o Microsoft Exchange e funciona com o Novell GroupWise.

Na parte de segurança, o sistema inteligente AppArmor, do SUSE Linux Enterprise Desktop, efetivamente constrói um firewall ao redor de cada aplicativo para que, mesmo que os usuários rodem algum software malicioso sem saber, ele não infectará o seu sistema ou a empresa de forma geral.

O suporte do Enterprise Desktop pelo SUSE começa em 120 dólares por cabeça, independente do tamanho da instalação.

Ubuntu Desktop for Enterprise

O Ubuntu é um favorito entre os usuários Linux, seja para o desenvolvimento mais pesado de software, para rodar um servidor de mídia ou fornecer funcionalidades ‘end-of-life’ para hardwares mais antigos. A mesma distribuição básica está disponível em uma versão para empresas, e muitos fabricantes de hardware oferecem o Ubuntu como uma opção de sistema pré-instalado. 

Bônus: o Ubuntu possui a maioria dos softwares disponíveis por meio do seu sistema de distribuição on-line.

Inclusos em todos os sistemas Ubuntu desktop para empresas estão um pacote de aplicações para escritório antivírus e um software anti-malware compatíveis com a Microsoft, uma ampla variedade de programas open-source, ferramentas de gerenciamento e suporte para toda a empresa, e suporte extensivo e treinamento, incluindo opções de treinamento no local. O Ubuntu também está totalmente traduzido em mais de 100 idiomas, o que o torna uma ótima opção para uma empresa global em busca de padronização. 

A comunidade de desenvolvedores Ubuntu tende a evoluir os componentes rapidamente, razão pela qual as instalações para empresas são inteligentes em optar pelo programa de suporte de longo prazo (LTS), que garante suporte ativo por cinco anos em vez do ciclo padrão do Ubuntu de nove meses. Os lançamentos em si são mais frequentes do que isso, no entanto, com um grande novo lançamento Ubuntu a cada seis meses e um lançamento importante LTS a cada dois anos – os lançamentos LTS também são focados em segurança e estabilidade, não em novos recursos, o que deve soar como música para os ouvidos dos administradores de TI.

O Ubuntu Desktop for Enterprise é suportado por meio do programa Ubuntu Advantage e custa 150 dólares por ano com um mínimo de 50 instalações por empresa. 

Linux Mint

Apesar de não ser desenvolvimento especificamente para adoção em empresas, vale citar o Linux Mint aqui porque possui a reputação de ser um dos ambientes Linux desktop mais fáceis para novos usuários. Construída em torno do gerenciador de janelas popular e proprietário Cinnamon, a versão atual do Mint é baseada nas distribuições Ubuntu e Debian Linux. 

No entanto, é importante notar que não há um suporte pago ou de nível corporativo pelo Mint. Assim, as empresas que escolherem adotar essa versão do Linux estão por contra própria em termos de suporte interno. Apesar de o Mint não ser ideal para qualquer profissional que trabalhe com documentos e dados privados e confidenciais, ele ainda pode minimizar os custos de suporte de usuários em outras áreas.

Trusted End Node Security

Se as suas principais preocupações são segurança e privacidade, então vale dar uma olhada em mais essa opção. A Trusted End Note Security (TENS) é uma distribuição do Linux desenvolvida pela Força Aérea dos EUA e aprovada pela Agência Nacional de Segurança dos EUA, a NSA, para uso seguro. 

Essa distribuição não conta com uma base enorme de aplicações, mas oferece suporte para recursos de segurança como login com cartões inteligentes (smart cart e key-card).

O ambiente completo roda sem exigir um HD – você pode fazer o boot a partir de um CD ou pendrive – assim está completamente protegido de qualquer software malicioso, e não há como mesmo traços de dados sensíveis serem deixados no computador depois que o usuários encerrar uma sessão. De qualquer forma, o sistema traz algumas ferramentas básicas do Linux, incluindo o pacote LibreOffice, que oferece uma opção equivalente e funcional ao Microsoft Office, mas em um ambiente altamente seguro.

Assim como o Linux Mint, o TENS é uma boa opção para comunidades específicas de usuários, mas não oferece serviços de suporte pago ou assinaturas, então você ficará por conta própria em termos de manutenção e suporte corporativos.