Retrospectiva: principais erros e acertos da Microsoft em 2017

PC World / EUA
17/01/2018 - 13h27
Empresa de Redmond passou por muitos altos e baixos na última temporada, que ficou marcada pelo fim do Windows Phone e do serviço Groove Music.

2017 pode entrar para a história como o ano em que a Microsoft se afastou dos consumidores finais e voltou suas atenções para as empresas.

O ano que terminou há algumas semanas foi marcado por dois acontecimentos importantes: o negócio de celulares da Microsoft morreu, assim como o Groove Music, o serviço de assinatura de música da empresa de Redmond. 

Na verdade, você poderia dizer que os serviços e softwares da Microsoft não foram tão bem quanto os aparelhos da fabricante, com as novas gerações do Xbox One e dos dispositivos Surface tendo recebido boas críticas no geral

Como 2017 teve muita coisa acontecendo na Microsoft, fizemos uma lista com os altos e baixos (e momentos mais surpreendentes) da gigante.

Erro: fim do Windows Phone

A história nos diz que os celulares Windows morreram aos 17 anos de idade, já que a existência deles teve início em abril de 2000, com os chamados Pocket PCs. Desde então, as aspirações mobile da Microsoft mudaram de nome várias vezes, incluindo o mais conhecido Windows Phone.

Em uma determinada época, a Microsoft chegou a ficar perto de dominar o segmento de sistemas mobile, mas um ciclo vicioso de recursos em queda para o desenvolvimento e a migração de usuários para o Android e o iOS acabaram mudando o rumo das coisas.  

O Windows 10 Mobile foi a encarnação mais recente da plataforma, levando consigo a antes ótima linha de smartphones Lumia, assim como muitas parcerias com fabricantes que nunca chegaram a lugar algum.  

windowsphone_625.jpg

Acerto: Xbox One X

Bom, o hardware, pelo menos. 

A Microsoft lançou o seu console mais poderoso em 2017, o Xbox One X, para acompanhar o Xbox One S. Mas a história é sempre a mesma: sem os games, você não é nada.

A empresa conseguiu um grande acordo de exclusividade com Player Unknown’s Battleground, um dos games mais comentados de 2017 (e que não roda muito bem no Xbox One X), além de alguns jogos multi-plataforma que rodam lindamente no novo console. Mas o ressurgimento da Nintendo e a estabilidade forte da Sony deixaram as coisas mais difíceis. Para crédito da Microsoft: seu Game Pass no estilo do Netflix, esforços incríveis para retro-compatibilidade de títulos, e um catálogo de jogos independentes pouco apreciado fortalecem a plataforma. 

xboxonexscorpio_625.jpg

Imagem: Microsoft

Erro: Windows 10 Creators Update

Por mais positivo que tenha sido o review da PC World dos EUA sobre esse update, penso que temos de aceitar que a atualização não foi tão importante quanto a Microsoft planejou originalmente. O Game Mode, o Paint 3D e a possibilidade de colorir imagens e vídeos levaram recursos interessantes de criatividade para o PC, mas não causaram realmente muito barulho. 

Acerto: Windows 10 Fall Creators Update

Por outro lado, penso que o Fall Creators Update, lançado alguns meses depois, teve um saldo muito mais positivo do que o seu antecessor. Mesmo updates pequenos e práticos, como o OneDrive Files on Demand e melhorias na duração de bateria – ajudaram a superar fracassos significativos, como o Windows Mixed Reality. As melhorias para uso do ditado e da caneta também serão bem recebidas por quem usa essas ferramentas. Mas a Microsoft continua a enterrar as melhorias tão profundamente no sistema que a maioria das pessoas nunca as encontra. E isso precisa mudar o quanto antes. 

WTF: Windows 10 S

É difícil recomendar um sistema baseado em limitar a escolha dos usuários a uma pequena seleção de aplicativos disponíveis na loja da fabricante. Mas por que a Microsoft fez isso? Suspeito, em parte, que a empresa fez isso já antecipando que o Windows 10 S estaria na nova geração de PCs com chips Snapdragon, da Qualcomm, que sofrem com perdas de desempenho ao rodar apps Win32. Restringir o usuário aos apps da Windows Store elimina o problema. Mas a primeira leva de notebooks educacionais da Microsoft com o Windows 10 S perdeu a janela das aulas do último semestre, e realmente não temos visto uma busca ativa por PCs Windows 10 S. Uma escolha estranha para um sistema, especialmente após o fracasso do Windows RT.

Acerto: Surface Pro (2017)

Neste momento, você deve pensar que a Microsoft já conseguiu encontrar o design ideal de um tablet Windows. E, no geral, a empresa conseguiu. O Surface Pro é um dispositivo incrível, mas rivais como HP e outros estão tão determinados quanto a empresa de Redmond. Como sempre, uma concorrência tão intensa como essa produziu alguns ótimos tablets Windows. O único ponto negativo do Pro é o preço salgado.

Erro: Surface Studio

O Surface Studio é um produto que pouca gente provavelmente sabia que queria – e não tenho certeza se muitas dessas pessoas realmente o compraram. A Microsoft claramente apostou na tela touchscreen gigante como atrativo para retirar os profissionais criativos da Apple. E talvez tenha conseguido alcançar isso com o display. Mas, como quase todo mundo, gostaríamos de um hardware mais poderoso para complementar essa tela enorme – que ainda gostaríamos que fosse vendida separadamente.

surfacestudio_62501.jpg

Imagem: Microsoft

WTF: PCs com chips Snapdragon, da Qualcomm

O diretor do Windows, Terry Myerson, já mostrou sua animação com uma nova geração de PCs com chips Qualcomm Snapdragon. Esses novos modelos de laptops trarão mudanças de preços e desempenho: 24 horas de bateria (ou algo assim) e conectividade constante. Mas a Qualcomm já admitiu que os PCs com Snapdragon rodarão apps Win32 tradicionais com perda de desempenho,  e a Microsoft ainda não habilitou aplicativos UWP de 64-bit para rodar na plataforma do Snapdragon. Recentemente, fabricantes como Asus, HP e Lenovo anunciaram notebooks com esses processadores. Agora resta esperar esses computadores chegarem ao mercado para saber se trarão ganhos aos consumidores.

qualcommpcs_625.jpg

Erro: Fim do Groove Music

Me coloque entre os fãs do Groove Music, o serviço de assinatura de música da Microsoft que foi encerrado recentemente. Com Spotify, Deezer, Apple Music, Pandora e Google oferecendo serviços parecidos com preços similares, já tinha passado da hora de alguma mudança no mercado. Apesar disso, o Groove trazia recursos interessantes em comparação com os rivais, incluindo uma interface clean e um serviço bem pensado com playlists e recomendações customizadas, entre outras coisas. 

Acerto: Surface Laptop

Mais e mais, não consigo deixar de pensar que o Surface Laptop representou o ápice da Microsoft em 2017. E sim, isso com um laptop cujo sistema, o Windows 10 S, foi criticado em todos os lugares. Mas a Microsoft sabia para quem estava direcionando esse notebook – estudantes, em primeiro lugar – e muito claramente conseguiu atender às necessidades deles.

Erro: Surface Book 2

O Surface Book 2 nunca conseguiu capturar de verdade todo o buzz em torno do seu antecessor, e não sabemos realmente a razão por trás disso. Ele é muito mais poderoso, traz uma opção com tela de 15 polegadas. Será que notebooks 2 em 1 perderam o seu momento? Outras falhas também atrapalharam o Book 2, especialmente o fato de não conseguir rodar games 3D quando conectado com a Surface Dock.

Acerto: apps criativos da Microsoft

Parte do nosso trabalho é criticar, apontando onde as empresas erraram, mas também destacar esforços que não foram tão apreciados quanto deveriam. O Paint 3D, o Mixed Reality Viewer e o Photos (Story Remix) caem nessa segunda categoria. Ironicamente, o app que mais recebeu atenção em 2017 foi o Paint, quando a Internet passou alguns dias questionando se ele seria encerrado pela Microsoft – o que não aconteceu. Mas o Paint 3D, o Mixed Reality Viewer e o Photos (Story Remix) são pura diversão. Se você duvida, deixe seus filhos brincarem com os apps por um tempinho. Ou teste-os por conta própria. Você vai ver. 

Erro: HoloLens

Microsoft, onde está o HoloLens? Para todo o hype e atenção que o aparelho pioneiro de realidade aumentada recebeu, sua única presença viável até então foi no palco e em vídeos promocionais. Ainda não vimos a versão de realidade aumentada de Minecraft prometida pela empresa. E, até onde sabemos, o trabalho da Microsoft com a Ford e outras companhias é o equivalente da realidade aumentada dos sistemas iniciais e caros de videoconferência que acabaram sumindo das salas de reunião. 

Erro: Windows Mixed Reality

Ficamos esperando pela Windows Mixed Reality. Ela foi lançada? Você nunca saberia. A Microsoft ficou totalmente muda após os headsets da Acer, HP, Lenovo e outras fabricantes chegarem ao mercado em outubro, junto com o Fall Creators Update.  Enquanto isso, a parceria da Microsoft com o Steam para levar sua biblioteca de games VR para o Windows continua travada em betas e modos de desenvolvimento.

Andar por uma “casa em um despenhadeiro”, colocar apps em paredes virtuais e coisas do tipo parece algo futurista...e totalmente não prático. Isso não quer dizer que o conceito de Realidade Mista parece inútil. Mas até que o software chega para suportar a visão coesa da Microsoft, a Windows Mixed Reality não vale o seu tempo.

Erro: o novo Skype

Desde o início, parecia claro que a ênfase do novo Skype em toda e qualquer coisa que não seja o Skype não seria muito bem recebida. Mas pelo que pudemos observar, a Internet simplesmente odiou a nova versão do app. Você não pode culpar a Microsoft por tentar atualizar o Skype com experiências compartilhadas e feedback em tempo real, recursos que o Periscope e outros apps conseguiram adotar de forma bem-sucedida. No entanto, os usuários e as empresas aparentemente só queriam que o Skype continuasse sendo um app tradicional de mensagens e conferências por vídeo e voz.