Órbi, novo espaço de conexão para startups, começa a funcionar em BH

Da Redação
02 de novembro de 2017 - 00h26
Iniciativa sem fins lucrativos é resultado da parceria do Banco Inter, MRV e Localiza e oferece áreas de coworking e espaços para cursos

Belo Horizonte tem, a partir de 1 de novembro, mais espaço para startups e iniciativas de inovação e empreendedorismo. O Órbi, iniciativa sem fins lucrativos montada pelo Banco Inter, MRV e Localiza, começa a funcionar oficialmente nesta quarta-feira em uma área de 2.500 metros quadrados na Avenida Antônio Carlos, no bairro de Lagoinha, na capital mineira, oferecendo espaço para startups e iniciativas ligadas a inovação e empreendedorismo.

A iniciativa foi anunciada em maio deste ano e agora inaugurada oficialmente. O Órbi nasce da junção dos esforços de empreendedores, algumas startups da San Pedro Valley e as três empresas mantenedoras. O projeto segue a tendência global de combinar em um mesmo local a oferta de serviços de coworking, com áreas de trabalho permanentes e temporárias para startups, e espaço para cursos, workshops, encontros de negócios e eventos.

"Estamos muito felizes em entregar para Belo Horizonte uma iniciativa que vai conectar o ecossistema de startups mineiro e incentivar o desenvolvimento de novos negócios", destaca João Vitor Menin, presidente do Banco Inter e idealizador do projeto. "Já fazem parte do Órbi startups que possuem soluções inovadoras e que terão um impacto social positivo em BH", afirma Menin.

De início será ofertada infraestrutura completa para 20 startups residentes, que estão em estágio pós-aceleração e que já gerem receita. Até agora já foram selecionadas 15 startups que passam a ter espaços de trabalho permanentes no local e ajuda especializada para se qualificarem a receber investimentos. O processo de seleção continua para as startups mineiras interessadas, que podem se inscrever pelo e-mail contato@orbi.co .

A lista de startups selecionadas inclui iniciativas como a Acerto, focada na renegociação de débitos online; a Cotak, que oferece sistema multicálculo para otimizar o tempo e as vendas do corretor de seguros e a SVA Tech, que desenvolve soluções inovadoras que transformam câmeras de segurança em aparelhos inteligentes por meio da tecnologia de visão computacional e vídeo analítico

O Órbi ainda conta também com 10 startups âncoras, entre elas Maxmilhas, Solides e Sympla, grandes startups de Minas Gerais, que serão parceiras do projeto ao compartilhar seu know-how e experiência para as menores.