Twitter estaciona em usuários e registra prejuízo de US$116 milhões

Da Redação
27/07/2017 - 14h06
Ações da rede social desabaram após companhia anunciar resultados financeiros nesta quinta-feira. Receita no segundo trimestre recuou 5%

O Twitter divulgou nesta quinta-feira (27) o relatório financeiro do segundo trimestre. A rede social registrou um prejuízo líquido de US$ 116,5 milhões contra os US$ 107 milhões registrados no mesmo período do ano passado.

A receita caiu cerca de 5% para 574 milhões de dólares, abaixo dos US$ 602 milhões registrados no mesmo período de 2016. Trata-se do segundo recuo desde a estreia do Twitter na bolsa em 2013.

A rede social também amargou no número de usuários ativos mensais, registrando um crescimento nulo. Foram 328 milhões de usuários mensais ativos, em média, nos três meses até 30 de junho, inalterado sobre o trimestre anterior. Segundo a empresa de análises e dados financeiro FactSet, os analistas esperavam 328,8 milhões de usuários.

Talvez, a única boa notícia para a companhia tenha sido a alta nos usuários ativos diários - maior no segundo trimestre deste ano em relação ao do ano passado. Houve um aumento de 12%. 

A empresa até conseguiu superar as expectativas do mercado ao nível das receitas. Aumentando a receita a US$ 574 milhões de dólares. Os analistas previam, em média, 537 milhões. O Twitter, entretanto, ressaltou que, apesar de não ter havido crescimento dos usuários, aqueles existentes estão mais ativos.

A receita de anúncios caiu 8%, para 489 milhões de dólares, mas superou a estimativa de 458,1 milhões de dólares.

Diante dos resultados, o mercado respondeu rapidamente nesta quinta-feira, com o valor das ações do Twitter recuando mais de 10%.

O Twitter tem investido em ferramentas e conteúdo ao vivo e parcerias com grandes nomes para ajudar a atrair os usuários e aumentar seu engajamento, algo ressaltado pelo CEO da companhia, Jack Dorsey: “Estamos orgulhos dos produtos melhores que estamos fazendo e que continuam aumentando sua contribuição global para o crescimento do Twitter”.