Ransomware obriga Honda a interromper produção de carros no Japão

Da Redação
22 de junho de 2017 - 03h53
Montadora japonesa descobriu que sistema operacional de controle de produção da fábrica de Saitama havia deixado de responder após ser infectado pelo WannaCry

A Honda Motor anunciou nesta quarta-feira que interrompeu a produção de sua fábrica no Japão, ainda como consequência do ataque cibernético que causou problemas no mundo inteiro no mês passado. Segundo informe da empresa, a fábrica de Saitama, que fica bem próximo a Tóquio, teve suas máquinas desligadas na segunda-feira e só voltou a funcionar na terça.

A montadora descobriu no domingo passado que o sistema operacional de controle de produção da fábrica havia deixado de responder por ter sido infectado pelo WannaCry, ransomware que criptografa arquivos de computador e os torna inacessíveis até que os usuários paguem um resgate. A fábrica de Saitama produz modelos como o Sedã Accord, a minivan Odyssey e o Step Wagon — ao todo, mil veículos são produzidos por dia. Honda também confirmou a infecção em fábricas no exterior, mas disse que não afetou a produção.

O ataque cibernético causado pelo WannaCry, no mês passado, atingiu cerca de 200 mil computadores em pelo menos 150 países do mundo. Japão, América do Norte, Europa e China estiveram entre as áreas atingidas.

A planta da Nissan Motor em Sunderland, na Inglaterra, também teve a produção interrompida pelo vírus. No Japão, os sistemas de computação da Hitachi foram paralisados pelo ataque e um computador do escritório local da East Japan Railway Co. foi infectado. As operações de trem não foram afetadas.