Supercomputador suíço desbanca norte-americano em nova lista dos Top500

IDG News Service
19/06/2017 - 14h24
Duas primeiras posições ainda ficam com máquinas na China. Sistema Piz Daint, instalado no centro nacional de supercomputação da Suíça, dobrou sua performance

A última lista de supercomputadores levantada pela Top500.org não trouxe nenhuma mudança em relação aos dois primeiros colocados quando comparada à edição anterior. Mais uma vez os computadores chineses de 93 petaflops Sunway TaihuLight e o de 33,9 petaflops Tianhe 2 lideraram a lista publicada nesta segunda-feira (19).

A novidade fica por conta do supercomputador suíço baseado em GPU Piz Daint, fabricado pela Cray, que dobrou sua performance para 19.6 petaflops (19.6 quadrilhões de operações de ponto flutuante por segundo), saltando da oitava posição para a terceira. O sistema está instalado no centro nacional de supercomputação da Suíça. Agora, o computador norte-americano Titan, que se encontrava no terceiro lugar na lista do ano passado, agora ocupa a quarta colocação. 

Ao superar a lista dos Top 10, você verá que os supercomputadores "de gama média" também estão ficando cada vez mais poderosos.

Desde novembro do ano passado, 108 deles chegaram ao ranking, em posição melhor que a 500º ocupada pelo computador chinês construído pela Sagon em 2015, usando processadores Intel Xeon. O computador de 432-teraflops já ocupou o 392º lugar em novembro passado e um ano antes estava no 213º lugar.

Esses computadores de alcance médio não estão apenas ficando mais poderosos, eles também estão ficando mais eficientes em termos de energia.

Os compiladores do Top500 só possuem informações de consumo de energia para 369 dos computadores na lista. Nove dos 10 mais eficientes foram construídos este ano, seis deles no Japão.

O melhor na conversão de watts em flops foi o Tsubame 3.0 do Japão. Construído pela Hewlett Packard Enterprise, ele usa uma mistura de processadores Intel Xeon e GPUs Nvidia Tesla P100 para oferecer 14,1 gigaflops/watt. Seu desempenho geral de 1,9 petaflops foi suficiente para colocá-lo diretamente no 61º lugar.

O Piz Daint da Suíça não está muito atrasado em termos de eficiência: oferece 10,4 gigaflops/watt, também usando uma mistura de Intel Xeons e Nvidia Tesla P100s.

Os coprocessadores estão ganhando terreno na Top500, com 71 sistemas usando GPUs Nvidia, 14 usando Xeon Phi e três deles usando ambos.

Vale ressaltar que a HPE construiu mais dos supercomputadores Top500 do que qualquer outra fabricante, com uma participação de 28,6%, acima dos 28% o há um ano atrás. Suas construções, no entanto, não estão entre as mais poderosas, elas representam apenas 16,6% da capacidade de computação do Top500.

A Cray e IBM são representadas desproporcionalmente no topo do gráfico, tendo construído 11,4% e 5,4% cento das máquinas, respectivamente, mas fornecendo 21,4%  e 7,5%  do poder de computação.

Para colocar esses números em perspectiva, 12,5% da capacidade de computação do Top500 vem de uma única máquina, a Sunway TaihuLight, construída pelo Centro Nacional de Pesquisa em Engenharia e Tecnologia Paralela de Computadores da China (NRCPC).

A GPU Santos Dumont, do Laboratório Nacional de Computação Científica em Petrópolis (RJ), ocupa a posição 472ª da lista deste ano. No ano passado, ele se encontrava na 364ª posição.