Maior supercomputador da América Latina, Santos Dumont entra no Top 500

Da Redação
11 de janeiro de 2017 - 19h34
Equipamento é a primeira infraestrutura de computação de alto desempenho em petaescala do país, para uso livre por parte da comunidade acadêmica.

Maior supercomputador da América Latina, o Santos Dumont, da Atos, empresa francesa de tecnologia e serviços digitiais, entrou na mais recente edição do ranking Top 500, que lista os supercomputadores mais potentes do mundo.

O Santos Dumont é a primeira infraestrutura de computação de alto desempenho em petaescala do país, para uso livre por parte da comunidade acadêmica, e que faz parte de uma parceria com o Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC) com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). O equipamento, instalado em Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, possui capacidade para realizar 1,1 bilhão de operações por segundo.

Hoje, o equipamento possui mais de 40 projetos em andamento, nos mais diversos segmentos de pesquisa, como química, física, engenharia, ciências biológicas, meteorologia, ciência agrárias, astronomia e outros.

Os HPCs (computadores de alta performance) da Atos são projetados com base na experiência de centros de P&D globais do grupo — um deles no Brasil — e em parcerias duradouras com grandes clientes ao redor do mundo. A tecnologia testada e comprovada de desenvolvimento conjunto busca otimizar o desempenho do código de simulação em sua relação com a arquitetura do supercomputador.

“É motivo de grande orgulho e satisfação ter o Santos Dumont na lista de supercomputadores mais potentes do mundo. Hoje, ele é o que temos de maior na América Latina. O sucesso do equipamento se traduz nos inúmeros projetos em andamento e em aprovação pelo LNCC. O supercomputador foi projetado para auxiliar a comunidade científica nos mais diversos avanços tecnológicos”, afirma Luis Casuscelli, diretor de big data & security da Atos na América do Sul.

Bull Sequana

O Bull Sequana, equipado com a tecnologia BXI (Bull eXascale Interconnect), também está no ranking. Ao todo, 20 equipamentos desse modelo desenvolvidos pela Atos estão na lista global.

Os supercomputadores Bull Sequana são produzidos na fábrica da Atos em Angers, na França. O modelo equipado BXI é a primeira “célula” do supercomputador de 25 petaflops que a Atos fornecerá à Comissão de Energia Atômica e Energias Alternativas (CEA) da França em 2017, como parte do projeto Tera1000. Sua arquitetura anuncia para 2020 a próxima geração de supercomputadores em exaescala. Em sua primeira fase, o supercomputador está no momento classificado em 55º lugar na Top 500.