Epson lança no Brasil impressora com autonomia para 75 mil páginas

Carla Matsu
08 de junho de 2016 - 09h00
Modelo integra nova linha WorkForce Pro que chega ao País com foco no mercado outsourcing de impressão
A Epson lançou nessa terça-feira (07/06) uma nova linha de produtos que marca a entrada da companhia no mercado outsourcing de impressão. No total, nove máquinas chegam ao Brasil com o selo WorkForce Pro prometendo maior autonomia, sustentabilidade e economia com qualidade industrial. 
 
Com a nova linha, a fabricante japonesa pretende abocanhar parte do mercado de impressão outsourcing brasileiro, que segundo Ewerton Munhoz Reis Matos, diretor de negócios da Epson Brasil, foi avaliado em US$ 600 milhões, citando levantamento realizado pela consultoria IDC. "Desse total, 90% do mercado é de impressão monocromática e o restante é colorido", destacou. 
 
A meta da companhia é atingir 10% do mercado de cor em quatro anos, informou o executivo durante evento de lançamento da linha em São Paulo. 
 
Matos ressalta que no Brasil, diferente dos mercados europeu, americano e japonês, onde a impressão colorida chega a 40% do mercado, o custo de impressão em cor é muito alto, o que inibe seu uso em larga escala. 
 
“Não é uma realidade ainda. Então, a gente vem com essa tecnologia para baixar o custo de impressão e fazer com que o mercado comece a imprimir mais em cores”, reforçou. 
 
Ao entrar no mercado outsourcing de impressão - quando empresas optam por terceirizar o seu parque de impressoras -, a Epson visa levar a qualidade de máquinas industriais para escritórios e clientes corporativos. 
 
Segundo a companhia, a nova linha WorkForce Pro oferece uma economia de 50%, incluindo custos com manutenção e logística, quando comparada a impressoras a laser, isso por que sua tecnologia permite estender o prazo de manutenção e reposição das peças e tintas. Para se ter uma ideia, o grande destaque da linha, a multifuncional colorida A3 WF-R8590, possui autonomia para 75 mil páginas em cores antes de precisar substituir seus kits de tinta. Outra vantagem é seu menor consumo de energia, cerca de 80% menor que modelos tradicionais.
 
A empresa explica que tais resultados foram viabilizados pela cabeça de impressão com tecnologia exclusiva PrecisionCore que, segundo a Epson, é resultado de um investimento de US$ 300 milhões em pesquisa e desenvolvimento e pelo sistema RIPS (Replaceable Ink Pack System), que usa bolsas de tinta de alto rendimento ao invés  dos tradicionais e trabalhosos cartuchos. 
 
“Nós trouxemos essa tecnologia para o mercado office, por que entendemos que é um mercado consolidado e que precisava de uma tecnologia robusta”, explicou Régis Brandão, especialista de produtos da Epson Brasil.
 
Brandão também chamou atenção para o impacto da variação do dólar no mercado outsourcing de impressão local. A autonomia oferecida pela nova linha de máquinas também endereça tal desafio. 
 
“Quando você tem um serviço com contrato de 24, 36 meses, você tem que arcar com os custos de envio de suprimento, de peça e tudo isso é importado. Então, com uma variação do dólar de 40%, você não consegue repassar para o cliente final esse valor. Essa é uma dificuldade que o mercado encontra por trabalhar com produtos com autonomias baixas”, defendeu. Segundo o executivo, uma impressora jato de laser tradicional A4 conta com autonomia para 10 mil páginas enquanto uma multifuncional A4 da WorkForce Pro oferece autonomia para 50 mil. Tais características contribuem diretamente com menor impacto ambiental, já que é necessária somente a substituição das bolsas de tinta e tanque de manutenção, reduzindo significativamente o descarte de materiais. 
  
A linha WorkForce Pro também oferece um kit com softwares para gerenciamento do material impresso dentro das empresas, permitindo a criação de regras para impressão entre funcionários, autenticação por crachá ou biometria. Como a impressão só é feita após a liberação no equipamento, isso resulta em menor desperdício de papel, por exemplo.
 
A linha com nove máquinas foi criada para atender as necessidades de impressão de pequenas a grandes empresas e serão ofertadas aos clientes finais no mercado de outsourcing por meio de parceiros de canais especializados e parceiros da Epson e começam a ser vendidas a partir de junho.