Lenovo confirma venda da CCE para antigos donos no Brasil

Da Redação
13/10/2015 - 12h04
Fabricante chinesa tinha comprado a marca brasileira em 2012 em transação estimada em R$300 milhões. Valor do negócio não foi revelado pelas companhias.

Cerca de três anos após comprar a CCE em uma transação estimada em 300 milhões de reais, a Lenovo confirmou nesta semana que concordou em vender de volta a marca e a fábrica da CCE para seus antigos donos, a família Sverner.

Segundo um comunicado enviado pela Lenovo para a imprensa, as duas partes firmaram um acordo comercial em “meados de agosto”. O valor do negócio não foi revelado.

Antes de comprar a CCE, em setembro de 2012, a Lenovo chegou a ser apontada como interessada em outra fabricante brasileira, a Positivo, mas o negócio nunca se concretizou.

Por fim, a Lenovo destaca, no final do comunicado, “seu comprometimento com o mercado brasileiro e seus consumidores”, com a manutenção da suas operações na fábrica em Itu, interior de SP, além da sua linha de PCs, servidores e os produtos mobile com a marca Motorola, que a empresa comprou do Google em 2014 por 2,9 bilhões de dólares.

Confira abaixo a íntegra do comunicado enviado pela Lenovo sobre a venda da CCE para seus antigos donos:

"A Lenovo informa que, como parte de seus esforços para aprimorar sua eficiência operacional e a rentabilidade do negócio de PCs globalmente e no Brasil, concordou em vender a marca e a fábrica da CCE para seus antigos proprietários, a família Sverner.

Em meados de agosto, as companhias firmaram um acordo comercial e essa mudança é parte do foco estratégico da Lenovo em produtos de maior valor agregado.

A Lenovo reforça o seu comprometimento com o mercado brasileiro e seus consumidores, mantendo suas operações na fábrica em Itu, no interior de São Paulo, assim como sua linha Premium de PCs, servidores (incluindo a linha System X recentemente adquirida) e os produtos mobile com a marca Motorola."