Supercomputador mais rápido do mundo fica na China

13/07/2015 - 14h51
Ranking dos Top 500 supercomputadores conta com Sequoia da IBM e supercomputador da Arábia Saudita em sétima posição.

Um supercomputador desenvolvido pela Universidade de Defesa Nacional da China continua a ser o mais rápido do mundo, enquanto os Estados Unidos está próximo de uma baixa histórica do ranking dos Top 500 supercomputadores. A lista, publicada nesta segunda-feira (13), é feita por especialistas da Alemanha e dos Estados Unidos. 

O computador The Tianhe-2, localizado no National Super Computer Center em Cantão, tem ficado no topo da lista há mais de dois anos e seu desempenho máximo alcançado foi 33.863 teraflops por segundo - quase o dobro do supercomputador do Departamento de Energia de Cray Titan nos Estados Unidos, que está no Oak Ridge National Laboratory, no Tennessee.

O supercomputador Sequoia da IBM, que fica no Lawrence Livermore National Laboratory, na Califórnia, é a terceira máquina mais rápida. Já a quarta da lista ficou para a máquina Fujitsu K, do Advanced Institute for Computational Science, no Japão.

O único novo computador a entrar no top 10 é o Shaheen II do King Abdullah University of Science and Technology na Arábia Saudita, que ganhou a sétima posição.

A lista Top 500, publicada duas vezes por  ano para coincidir com conferências de supercomputadores, é vista como um indicador do atual desenvolvimento e investimento em computação de alta performance ao redor do mundo. Também fornece insights  sobre quais tecnologias são populares entre companhias que constroem tais máquinas. No entanto, a participação à lista é voluntária, o que torna bem provável que haja um número de supercomputadores secretos por aí.

Com 231 máquinas integrando o Top 500, os Estados Unidos ainda permanece como o país que, em termos de números, domina o desenvolvimento de supercomputadores. Mas vale lembrar que o número está bem próximo de sua maior baixa de todos os tempos - 226 em meados de 2002. Época em que a China começou a aparecer na lista. Atualmente, a China conta com 37 supercomputadores.

Embora existam algumas alterações importantes nas primeiras posições no ranking, o poder de computação agregado das 500 empresas continua a avançar. No entanto, o ritmo parece estar mais lento. Para comparação, a lista atual representa 361 petaflops por segundo de desempenho, um aumento de 31% sobre o ano passado, mas uma desaceleração perceptível no crescimento, de acordo com os autores do estudo.

A ascensão do uso de processadores de gráfico, chamados de computação por GPU, é refletida no top 10. Duas máquinas utilizam processadores Nvidia K20x; a segunda Cray Titan e a sexta do ranking usa Cray Piz Daint, instalada pela Swiss National Supercomputing Centre.

No entanto, chips Xeon E5 da Intel continuam a superar todos os outros. Tomados em conjunto, as três gerações do chip (SandyBridge, Ivybridge e Haswell) estão em 80% dos sistemas, o que representa 67% do rendimento total.