98% dos computadores corporativos contém algum tipo de malware

Da Redação
07 de maio de 2014 - 10h00
As companhias brasileiras não estão preparadas para possíveis novos ataques cibernéticos, diz estudo da Trend Micro.

A grande maioria (98%) dos computadores de grandes empresas brasileiras contém amostras de malwares, de acordo com um estudo realizado pela empresa de segurança Trend Micro. Das análises realizadas, foram encontrados 72% malwares do tipo bancário, 30% malwares para Android e 58% eram malwares desconhecidos.

O levantamento verificou máquinas de mais de 100 corporações brasileiras equipadas com mais de 2 mil computadores, com o intuito de realizar uma avaliação de segurança da informação com base nos últimos serviços Deep Discovery. A análise aponta que as companhias não estão preparadas para possíveis novos ataques cibernéticos.

Também foi constatada a presença de botnets ativas. Botnets são redes de computadores zumbis controlados por cibercriminosos que podem roubar dados confidenciais das máquinas infectadas e distribuir conteúdos não-solicitados, como spams, sem que o operador do PC tenha conhecimento. Essa ameaça estava presente em cerca de 90% das máquinas. Também foram encontradas aplicações não autorizadas em 82% dos computadores, documentos maliciosos em 66%, e conexões a serviço de Cloud Storage em 80%.

Os principais riscos para as empresas são:

- Vazamento de informações confidenciais;

- Funcionários e empresa como vítimas de ataques bancários;

- Uso da infraestrutura da empresa para ataques a terceiros;

- Presença constante de atacantes dentro da rede;

- Sequestro de informações cruciais ou críticas, cobrando o resgate da empresa ou vendendo as informações para outros;

- Espionagem.

"A falta de segurança é um problema grave e as empresas nem sempre têm essa percepção. Elas correm riscos, como o vazamento de informações confidenciais, fraudes bancárias e até de ter ataques realizados a partir de sua rede, sem saber. A companhia ainda pode ter suas informações sequestradas e correr o risco do cibercriminoso vendê-las para um terceiro, sem a possibilidade de recuperar esses dados", afirma Leonardo Bonomi, diretor de tecnologia e suporte da Trend Micro. 

Estar com as aplicações atualizadas e ter uma estratégia de proteção em camadas é a melhor maneira da empresa se proteger de possíveis ataques. "Para se prevenir, é muito importante que as empresas tenham uma estratégia eficiente de segurança em camadas, que proteja todas as máquinas e a rede da empresa", diz Bonomi.