Pesquisa mostra diferença entre gerações em atitudes sobre segurança

Tony Bradley, PCWorld / EUA
28 de fevereiro de 2014 - 08h00
Estudo da Fortinet indica que o comportamento com relação à segurança e à privacidade difere significativamente entre as gerações X e Millennials.

Segurança e privacidade são preocupações importantes para qualquer pessoa, especialmente depois dos vazamentos sobre as atividades da Agência Nacional de Segurança dos EUA (NSA) e grandes violações de dados como a que ocorreu com a Target.

Um novo estudo feito pela Fortinet, no entanto, indica que o comportamento com relação à segurança e à privacidade difere significativamente entre as gerações.

A empresa entrevistou 150 usuários da geração X e 150 Millennials com números iguais de entrevistados do sexo masculino e do sexo feminino. O tamanho da amostra pode ser um pouco pequeno para ser cientificamente conclusivo, no entanto, os resultados são interessantes.

Quando se trata de práticas de elaboração de senhas, a grande maioria tem o hábito de mudar suas combinações periodicamente, mesmo que isso ocorra apenas uma vez ao ano. Mais de 40% dos respondentes de ambas as gerações indicaram que eles nunca trocam de senhas, ou trocam apenas quando são obrigados. 

A boa notícia é que apenas 7% dos entrevistados reportaram usar a mesma combinação em diferentes locais. Quatro em cada 10 afirmaram usar uma senha única para cada site e serviço que acessam.

Quase metade dos entrevistados da geração X também não protegem seus smartphones com um código de acesso ou outro tipo de proteção, enquanto que apenas 37% dos Millennials fazem o mesmo.

O padrão de segurança com 4 dígitos é o método mais popular, seguido por uma senha alfanumérica mais complexa. Padrões em telas touch são usados por um pouco mais do que 20% dos entrevistados, mas apenas 5% usam autenticação biométrica - como reconhecimento facial.

Números do seguro social foram classificados como a informação pessoal mais valiosa a ser protegida por ambas as gerações, mas, depois, as respostas divergem - em particular quando se trata de proteger o e-mail corporativo.

E-mails usados para o trabalho aparecem em quinto lugar no ranking dos itens de maior preocupação da geração X, e o mesmo nem sequer fazem parte dos top 5 dos Millennials.

John Maddison, vice-presidente de marketing da Fortinet observou que isso é preocupante. Uma pesquisa feita anteriormente pela empresa mostrou que 51% dos Millennials ignorariam as políticas das companhias de restringir o uso dos dispositivos pessoais ou serviços de cloud no trabalho.

"Em conjunto, Millennials estão, essencialmente, dizendo: 'não nos importamos com o que nossos empregadores dizem. Vamos usar qualquer dispositivo que queremos no trabalho e se os dados empresas se perderem ou desaparecerem, é uma pena."

Esse "buraco" entre as gerações - e a diferença na filosofia com relação à segurança e privacidade - ilustra as mudanças de atitude sobre qual informação é importante, e qual não é.

A "atitude cavalheiresca" sobre as políticas de trabalho e proteção de dados de trabalho será uma preocupação crescente para os empregadores à medida que Millennials compõem um segmento crescente da população ativa.