Satya Nadella pode ser CEO da MS; Gates deve deixar cargo de chairman

Mark Hachman - PC World (US)
31/01/2014 - 07h49
Reportagem da Bloomberg afirma que o chefe da divisão de cloud da Microsoft substituirá Steve Ballmer no comando da empresa. Conselho também avalia tirar Bill Gates do cargo de Chairman

O chefe da divisão de cloud computing da Microsoft, Satya Nadella, deverá liderar a empresa de Seattle como novo CEO da companhia, substituindo o já demissionário Steve Ballmer. A informação foi publicada na noite de ontem pela rede Bloomberg.

Segundo a notícia, o conselho administrativo (board) da Microsoft está se "preparando para nomear" Nadella, cujo cargo atual é vice-presidente executivo do grupo Cloud and Enterprise da Microsoft. Nadella tem sido visto como um dos primeiros da lista dos possíveis substitutos do atual CEO, Ballmer, que em agosto de 2012 informou que estaria deixando o cargo no período de um ano.

A notícia da Bloomberg informa, ainda, que o board da companhia também estuda substituir Bill Gates como chairman da Microsoft, retirando o cofundador da empresa e possivelmente substituindo-o por John Thompson, diretor independente da Microsoft. Se Gates deixar o cargo, a Microsoft estará removendo, em uma só tacada, os dois ícones do passado da companhia.

Nadella, 44 anos, é engenheiro eletrônico, nasceu na Índia, e também é formado em ciência da computação (pela Universidade de Wisconsin-Milwaukee), e administração (pela Universidade de Chicago). Ele trabalha desde 1992 na Microsoft e é conhecido por ter gerenciado as iniciativas online da empresa que transformaram o antigo Windows Live Search no atual site de buscas Bing, que tem 18,2% do mercado.

O engenheiro também foi responsável por lançar o BizTalk, Commerce Server da Microsoft, e a linha de produtos Office Small Business.

Os opositores à nomeação de Nadella alegam que ele não tem experiência como CEO. Até agora, o compromisso de Ballmer com a mudança da empresa está associado a uma estratégia de "dispositivos e serviços". Se Nadella for nomeado CEO, não está claro que direção ele vai seguir. Por outro lado, seu histórico mostra que ele pode garantir pelo menos uma das metades da estratégia.