Sua empresa está rastreando seu paradeiro por meio do smartphone?

CIO/EUA
28/04/2011 - 14h10
Departamentos de TI sabem por onde você anda – e isso não é novidade; e o iPhone não é o único "informante".

Vamos supor que você foi escalado para uma viagem de negócios e, ao invés disso, saiu “de fininho” para um parque de diversões com a família ou disse ao chefe que tinha que ir ao dentista e, na verdade, foi fazer um happy hour com os amigos. Se você carrega um iPhone, Android BlackBerry ou Windows Phone 7, o setor de TI rastrear seus movimentos.

Este não é o momento de entrar na recente discussão a respeito do iPhone gravar secretamente a localização de seus usuários em um arquivo obscuro, armazenado e sincronizado no PC via iTunes – tudo muito assustador. Na verdade, qualquer smartphone pode enviar informações o TI, se o setor estiver com a intenção de obter essas informações.

“Se as companhias quisessem, poderiam fazer isso” afirma Erik Woodland, supervisor de suporte técnico de administrador de redes da Fenner Drives, fabricantes de produtos de transmissão de energia. “Essa tecnologia está disponível faz tempo”.

iPhone não é o único culpado
Defensores da privacidade atacaram a Apple na última semana depois que pesquisadores descobriram que alguns iPhones gravam informações de localização. Assim como todos os celulares, o iPhone precisa saber sua localização exata para se conectar à torre de celular correta – e o iPhone registra essas informações em um arquivo não-codificado.

Esse arquivo pode ser utilizado pelas empresas para rastrear o paradeiro de seus empregados e executivos? “Certamente”, afirma Chenxi Wang, analista da Forrester. “Esse arquivo de histórico de localização é talvez outra fonte para os sistemas [de gerenciamento de dispositivos móveis]. Ainda assim, as informações de localização obtidas pelo GPS do smartphone não é novidade. Grande parte dos aplicativos pedem ao usuário permissão para utilizar o GPS e o recurso de rastreamento de posição. Operadoras de telefonia também catalogam informações a respeito do paradeiro do usuário, porém elas não são disponibilizadas sem um mandado judicial.

Embora Wang ache que não exista um arquivo de localização no Android, similar ao do iPhone, o próprio Android transmite dados de localização do celular para a Google periodicamente, de acordo com uma descoberta feita pelo Wall Street Journal. No ao passado, pesquisadores da Duke University descobriram que alguns dos apps mais comuns do Android transmitem informações de geolocalização para servidores terceirizados de empresas de conteúdo ou de anúncios. 

No nível empresarial, A Zenprise, empresa especializada em softwares de segurança e de gerenciamento móvel, oferece às companhias a opção de extrair as informações de localização de BlackBerries, Android e Windows Mobiles e armazená-las no servidor corporativo da companhia. A razão principal pela qual as empresas ativam esse recurso é pela possibilidade de recuperar aparelhos que tenham sido perdidos ou roubados, ou ainda para encontrar técnicos que estejam dentro de uma determinada distância para atender aos clientes mais próximos, afirmou Ahmed Datoo, chefe de marketing da Zenprise.

A Zenprise não extrai as informações de geolocalização do iPhone ou acessa o arquivo de localização do smartphone (apesar do fato de que fazê-lo seria fácil) porque a Apple já fornece um bom serviço de localização de aparelhos perdidos ou roubados (chamado Find my iPhone), explicou Dato.

Cuidado com os contratos de privacidade
Seu empregador está registrando cada movimento seu através do smartphone? No fim das contas, o setor de TI sempre teve meios para monitorar e registrar suas mensagens de texto, e-mails e ou mesmo ter acesso ao histórico de sites visitados no PC ou no dispositivo móvel. Monitorar a localização celular e fazer um log desse histórico não parece tanta intromissão assim. 

Se você acha que está livre porque você possui seu próprio aparelho, pense de novo. De acordo com a Zenprise, algumas companhias exigem daqueles que querem conectar seu iPhone ou iPad à rede corporativa a assinatura de um termo legal de responsabilidade que confere ao setor de TI poder para acessar o dispositivo, gerenciar aplicativos e até limpar dados se necessário – e, em alguns casos, rastrear a localização do dispositivo.

As chances são, contudo, de que uma empresa não está rastreando a localização minuto a minuto somente para monitorar o paradeiro de um empregado. Extrair informações de localização pelo GPS do celular gasta muita bateria, e por isso é preciso haver uma boa razão para coletar esses dados.

“Não acredito que qualquer companhia hoje está utilizando os dados de localização para saber como cada empregado gasta seu tempo livre – parece uma coisa muito bizarra” ponderou Wang. “No entanto, a habilidade de localizar um celular é um pedido frequente que recebemos de nossos clientes.

Claro que a experiência de cada usuário depende do tipo de segmento em que cada pessoa trabalha. Por exemplo, na indústria de caminhões, muitas organizações rastreiam regularmente a localização de seus empregados, pois os caminhoneiros precisam cumprir horários, dirigir somente certa quantidade de horas por dia e permanecer dentro dos limites de velocidade. O software existe para monitorar todos esses tipos de coisas. Funcionários nesse tipo de situação são informados regularmente por suas empresas que esse sistema de rastreamento existe.

(Tom Kaneshige)