Google diz que a Web é o novo modelo de programação

Infoworld/EUA
27/05/2009 - 20h11
São Francisco - Durante abertura do Google I/O, evento para desenvolvedores, empresa mostra tecnologias que estarão em seus produtos em breve.

A Web é o novo modelo de programação. Essa foi a mensagem do Google durante a abertura do conferência Google I/O, evento que conta com a participação de 4 mil desenvolvedores e que começou nesta quarta-feira (27/5), nos Estados Unidos.

Durante a abertura, o Google mostrou a próxima geração de tecnologias web que vão concorrer com as aplicações dos computadores, com foco no que pode ser feito com a linguagem de desenvolvimento HTML 5.

“Finalmente temos a rede, os negócios, os programadores e as ferramentas para construir a plataforma que quero mostrar”, declarou Eric Schmit, Chief Executive Officer (CEO) do Google, durante a abertura do evento.

De acordo com o executivo, o modelo de programação baseado na internet vai suceder o do mainframe e do desktop.

Muitas das aplicações mostradas pelo Google para os desenvolvedores ainda não estão prontas. Elas dependem da adoção da HMTL 5, que está em desenvolvimento por um consórcio de empresas e de organizações.

O vice-presidente de engenharia do Google, Vic Gundotra, que já trabalhou para a Microsoft, disse que acreditava que as aplicações web nunca rivalizariam com o desktop. “Esse foi um erro que cometi uma vez”, afirmou.  “A Web se transformou no modelo dominante do nosso tempo”.

Com o HTML 5, explicou o executivo do Google, será possível ir além da Web 2.0. Como exemplo, Gundotra demonstrou o projeto  de código aberto O3D, que oferece gráficos tridimensionais pelo navegador de internet.

O diretor de engenharia do Google, Matthew Papakipos, disse que permitir gráficos 3D nos browsers vai exigir uma novo conjunto de APIs (Interface de Programação de Aplicativos em português, um conjunto de rotinas e padrões estabelecidos por um software para a utilização das suas funcionalidades). No momento, a empresa trabalha com Apple e Mozilla, neste esforço.

“Temos um longo caminho, mas o processo já começou”, declarou Papakipos. Ele pediu para que os desenvolvedores começassem a desenvolver aplicações reais 3D.