Análise: as empresas devem reconsiderar o uso de cloud computing?

InfoWorld/EUA
30/10/2008 - 09h01
São Francisco - Amazon.com antecipa migração para cloud computing, mas especialistas ainda estão inseguros sobre computação em 'nuvens'.

A Amazon.com parece estar antecipando uma migração de empresas para cloud computing, com suporte aos três principais pilares de desenvolvimento de aplicativos – Oracle 11g, Microsoft SQL e o open source MySQL.

Além disso, a Amazon fornece o Microsoft Windows Server, o middleware da Oracle Fusion, três ferramentas de backup e recuperação da Oracle e o open source LAMP.

Ao anunciar sua própria plataforma de cloud computing, o Windows Azure, Ray Ozzie, da Microsoft, 'tirou o chapéu' para o Chief Executive Officer da Amazon, Jeff Bazos, por liderar em projetos de 'nuvem'.

A IBM e a Oracle também já anunciaram suas versões de um centro de cloud computing. A Oracle usará a estrutura do EC2 (Elastic Cloud Computing) da Amazon, enquanto a IBM desenvolverá com base em suas próprias inovações.

Por que a TI desconfia do 'cloud'?
Alguns executivos ainda acham que a computação em nuvem não está pronta para aplicativos corporativos. Então por que a Oracle e a Microsoft estão incluindo aplicativos e plataformas no sistema da Amazon?

O vice-presidente de pesquisas da Ovum, David Mitchell, diz que as empresas simplesmente não estão prontas para desenvolver aplicativos de 'missão crítica' em cloud computing. “Você se sentiria confortável com o registro de taxas online? Eu não ficaria”, diz.

Em relação à segurança, “com o modelo em cloud, a barreira cresce significativamente”, opina o Chief Technology Officer da Transplace, Vince Biddlecombe. “Todos se preocupam se os seus dados estão protegidos”.

Segundo o diretor de comércio eletrônico e implementação de serviços da Office Depot,  “tudo diz respeito à proteção dos dados. Queremos esta certeza, de que podemos manter o controle”, explica. “Não me sentiria confortável com cloud computing em grande escala, neste momento.”

Qual é o papel de cloud computing?
Geralmente, a computação em nuvem é vendida como responsável por reduzir os custos, terceirizando tanto a infra-estrutura quanto o gerenciamento dela. Verdade seja dita, departamentos de TI têm muitos equipamentos desperdiçados.

As economias, contudo, são suficientes para as empresas confiarem em um provedor externo, especialmente em negócios completos, que precisam que os dados entrem e saiam da 'nuvem', passem pelo firewall e depois voltem novamente onde começaram?

Segundo Mitchel, para alguns aplicativos, isso implicaria em muitas mudanças. “Se você tem um CRM personalizável pelos clientes em cloud e uma aplicação ERP 'in-house', talvez a integração seja cara a ponto de não compensar as reduções de gasto”, explica.

Muitos que adotam a tecnologia envolvem apenas aplicativos de baixo risco - como gerenciamento de contatos. O The New York Times e o Nasdaq OMX já experimentaram os serviços em cloud da Amazon desta forma.

O vice-presidente de produtos da Amazon Web Services, Adam Selipsky, reconhece que a maioria dos usuários de cloud, atualmente, são startups e pequenos negócios que buscam um jeito fácil de criar sua infra-estrutura ou empresas que usam a plataforma para projetos experimentais.

Selipsky diz, contudo, que apesar de lentamente, as empresas estão migrando para o cloud. Ele cita a Eli Lilly, que usa o EC2 para processar dados de pesquisas e, é por isso que a Amazon continuará investindo em seus serviços.

Nos próximos meses, os clientes terão aplicativos para o equilíbrio de carga, monitoramento do ambiente EC2 e escala automática.

Uma vez que a Amazon, o Google, a HP, a IBM e a Microsoft já têm ofertas em cloud computing, elas podem se tornar produtos com segurança em nível corporativo e eficiência comprovada. Esta parece ser a maior aposta das principais empresas que oferecem suas tecnologias pela Amazon.com.

Ephraim Schwartz e Tom Sullivan, editores do InfoWorld, de São Francisco